economia

5 riscos para o mundo com Donald Trump

Imprimir

Os Estados Unidos e o mundo estão na expectativa do resultado da disputa acirrada entre Hillary Clinton e Donald Trump. A ex-senadora e ex-Secretária de Estado, Hillary Clinton, candidata do partido Democrata, é conhecida na recente história americana e mesmo com alguns tropeços fez uma campanha tradicional e sólida. Já empresário e candidato republicano, Donald Trump é a incógnita e na política e economia o desconhecido é um risco. Veja alguns riscos presentes em uma possível vitória de Trump.

O Risco Econômico

Donald é conhecido por ser um empresário de sucesso, o self-made man. Muitos eleitores citam isso como um gerador de confiança para superar a crise nos EUA. Na campanha, Donald repete incessante o seu slogan, “Make America great again“(fazer a América grandiosa novamente). Mas, esta semana, 370 especialistas na área, incluindo 8 prêmios Nobel, publicaram uma carta aberta no Wall Street Journal. Na carta apontam o republicano como “uma escolha perigosa e destrutiva” e sugerem que os eleitores votem em outro candidato. Também apontam as falhas na campanha de Donald. “Ele informa erradamente o eleitorado, mina a confiança nas instituições públicas com teorias da conspiração e promove ilusões propositadas sobre a realidade”, afirma o manifesto dos economistas. O mercado brasileiro já responde negativamente ao risco Trump.

Risco político

Os EUA, sua política interna e externa, sempre foram um termômetro para a política mundial e qualquer incerteza gera um efeito borboleta. Analistas políticos estão considerando o impacto de Trump chegar à Casa Branca semelhante ao Brexit, saída do reino Unido da União Europeia. E mesmo Hillary tendo um passado político ligado aos conflitos no Iraque e no Afeganistão, Trump por seu caráter impulsivo e imprevisível gera um desconforto generalizado. Donald já declarou que o crescimento do Estado Islâmico vem de uma política de defesa fraca e que Barack Obama e Hillary Clinton seriam seus co-fundadores. Disse também que a Coreia do Sul deveria ter armas nucleares para lidar com a Coreia do norte, despertando o medo de uma nova corrida armamentista. É evidente o desconhecimento do republicano quanto à política internacional. Veja o mapa que o Huffington Post fez baseado em declarações de Trump.

O Mundo segundo Donald Trump

O risco racial, étnico e de gênero

Ponto nevrálgico da campanha republicana foi a relação de seu candidato com as mulheres e os imigrantes. Trump ostenta um extenso histórico de escândalos e denúncias, que está aumentando conforme chega o dia da eleição. O candidato também fez ataques diretos à sua oponente claramente sexistas e declarações embaraçosas sobre como trata as mulheres.

As críticas diretas ao presidente Obama e políticas afirmativas coloca Donald contra a população negra. A promessa de construir um muro na fronteira com o México e de devolver o país aos americanos também é uma das muitas posturas polêmicas de Trump com relação aos imigrantes.

O Risco do ódio

Os discursos inflamados de Donald Trump despertaram grupos perigosos de simpatizantes. Para dizer que é a favor da América para os americanos, Donald se posicionou contra todos os outros, principalmente muçulmanos e latinos. Grupos extremistas, nacionalistas de direita e racistas encontraram em Trump um líder alinhado às suas crenças. No último debate o republicano disse não saber se respeitará o resultado das eleições e milícias já se movimentam contra uma possível vitória de Hillary. A Ku Klux Klan (KKK) manifestou apoio ao candidato e mesmo com nota contrária dos assessores de Trump a repercussão não foi boa. Uma igreja no Mississipi frequentada majoritariamente por negros foi queimada e uma frase em apoio à Trump pichada na parede. Há o temor de um aumento dos crimes de ódio nos EUA qualquer que seja o resultado.

O risco da rejeição

Pesquisas apontam hoje que Hillary tem 6 pontos percentuais à frente de Trump. A disputa ainda não está definida. O ponto principal é que esta eleição pode ser decidida pela rejeição à Hillary ou à Trump. A candidata democrata representa o stablishment, a política tradicional desacreditada pelo americano médio. Donald Trump com sua falta de experiência, seu histrionismo, falsas informações sobre fatos econômicos e políticos, além do racismo e sexismo, gerou uma onda de rejeição e desconfiança sobre sua capacidade de ocupar um cargo político tão importante. Para muitos, a eleição da semana que vem se resume em: que vença o menos pior.

Para terminar uma pequena compilação de frases polêmicas de Trump feita pelo Estadão.

 

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Reflexões sobre tendências do próximo Congresso


Salvo mudanças inesperadas no humor do eleitorado, a tendência será de reeleição entre 60% e 70% da atual Câmara dos Deputados – um dos mais altos das sete últimas eleições – o que poderá levar para a próxima legislatura as práticas e os vícios da atual composição legislativa.

Ler mais

A salvação de Lula interessa a muita gente. E pode vir pelo STF


Duas circunstâncias distintas concorrem para livrar o ex-presidente Lula da prisão. Uma delas passa pelo STF (Supremo Tribunal Federal), mais exatamente pelo juiz Dias Toffoli. Outra, pelos inúmeros suspeitos graúdos de rapinarem o erário…

Ler mais

O banco de reservas Petista


A condenação de Lula em segunda instância, de maneira unânime, pelo TRF-4, inviabiliza o caminho do ex-presidente ao Palácio do Planalto. O PT tem traçada a estratégia de manter a candidatura de Lula até o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) impedi-lo de disputar o Planalto novamente, como preveem

Ler mais