economia

5 riscos para o mundo com Donald Trump

Imprimir

Os Estados Unidos e o mundo estão na expectativa do resultado da disputa acirrada entre Hillary Clinton e Donald Trump. A ex-senadora e ex-Secretária de Estado, Hillary Clinton, candidata do partido Democrata, é conhecida na recente história americana e mesmo com alguns tropeços fez uma campanha tradicional e sólida. Já empresário e candidato republicano, Donald Trump é a incógnita e na política e economia o desconhecido é um risco. Veja alguns riscos presentes em uma possível vitória de Trump.

O Risco Econômico

Donald é conhecido por ser um empresário de sucesso, o self-made man. Muitos eleitores citam isso como um gerador de confiança para superar a crise nos EUA. Na campanha, Donald repete incessante o seu slogan, “Make America great again“(fazer a América grandiosa novamente). Mas, esta semana, 370 especialistas na área, incluindo 8 prêmios Nobel, publicaram uma carta aberta no Wall Street Journal. Na carta apontam o republicano como “uma escolha perigosa e destrutiva” e sugerem que os eleitores votem em outro candidato. Também apontam as falhas na campanha de Donald. “Ele informa erradamente o eleitorado, mina a confiança nas instituições públicas com teorias da conspiração e promove ilusões propositadas sobre a realidade”, afirma o manifesto dos economistas. O mercado brasileiro já responde negativamente ao risco Trump.

Risco político

Os EUA, sua política interna e externa, sempre foram um termômetro para a política mundial e qualquer incerteza gera um efeito borboleta. Analistas políticos estão considerando o impacto de Trump chegar à Casa Branca semelhante ao Brexit, saída do reino Unido da União Europeia. E mesmo Hillary tendo um passado político ligado aos conflitos no Iraque e no Afeganistão, Trump por seu caráter impulsivo e imprevisível gera um desconforto generalizado. Donald já declarou que o crescimento do Estado Islâmico vem de uma política de defesa fraca e que Barack Obama e Hillary Clinton seriam seus co-fundadores. Disse também que a Coreia do Sul deveria ter armas nucleares para lidar com a Coreia do norte, despertando o medo de uma nova corrida armamentista. É evidente o desconhecimento do republicano quanto à política internacional. Veja o mapa que o Huffington Post fez baseado em declarações de Trump.

O Mundo segundo Donald Trump

O risco racial, étnico e de gênero

Ponto nevrálgico da campanha republicana foi a relação de seu candidato com as mulheres e os imigrantes. Trump ostenta um extenso histórico de escândalos e denúncias, que está aumentando conforme chega o dia da eleição. O candidato também fez ataques diretos à sua oponente claramente sexistas e declarações embaraçosas sobre como trata as mulheres.

As críticas diretas ao presidente Obama e políticas afirmativas coloca Donald contra a população negra. A promessa de construir um muro na fronteira com o México e de devolver o país aos americanos também é uma das muitas posturas polêmicas de Trump com relação aos imigrantes.

O Risco do ódio

Os discursos inflamados de Donald Trump despertaram grupos perigosos de simpatizantes. Para dizer que é a favor da América para os americanos, Donald se posicionou contra todos os outros, principalmente muçulmanos e latinos. Grupos extremistas, nacionalistas de direita e racistas encontraram em Trump um líder alinhado às suas crenças. No último debate o republicano disse não saber se respeitará o resultado das eleições e milícias já se movimentam contra uma possível vitória de Hillary. A Ku Klux Klan (KKK) manifestou apoio ao candidato e mesmo com nota contrária dos assessores de Trump a repercussão não foi boa. Uma igreja no Mississipi frequentada majoritariamente por negros foi queimada e uma frase em apoio à Trump pichada na parede. Há o temor de um aumento dos crimes de ódio nos EUA qualquer que seja o resultado.

O risco da rejeição

Pesquisas apontam hoje que Hillary tem 6 pontos percentuais à frente de Trump. A disputa ainda não está definida. O ponto principal é que esta eleição pode ser decidida pela rejeição à Hillary ou à Trump. A candidata democrata representa o stablishment, a política tradicional desacreditada pelo americano médio. Donald Trump com sua falta de experiência, seu histrionismo, falsas informações sobre fatos econômicos e políticos, além do racismo e sexismo, gerou uma onda de rejeição e desconfiança sobre sua capacidade de ocupar um cargo político tão importante. Para muitos, a eleição da semana que vem se resume em: que vença o menos pior.

Para terminar uma pequena compilação de frases polêmicas de Trump feita pelo Estadão.

 

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem dinheiro para os rábulas


O Estadão publicou no último dia 27 de março levantamento sobre a posição de 14 candidatos à Presidência da República em relação à possibilidade de prisão em segunda instância. A chamada esquerda votou contra a atual, e frágil, jurisprudência.

Ler mais

O Sistema Político Brasileiro faliu e precisa ser reinventado


O Sistema Político Brasileiro, por razões estruturais e operacionais de suas instituições, é um dos mais complexos, fragmentados, caros e ineficientes do mundo. Ademais, o Parlamento convive diuturnamente com episódios de corrupção, vulnerabilidade aos lobbies e captura pelo Executivo.

Ler mais

Os ratos da Lava-Jato e o apartheid carcerário


Quando decidiram que era tarde da noite para decidir sobre a prisão em segunda instância, os juízes da Suprema Corte abriram uma brecha para a soltura dos meliantes do erário. Se decretarem a alforria de ladrões graúdos, os onze supremos sufetas estarão sepultando a Lava-Jato.

Ler mais

A lógica do paternalismo e o Estado controlador


A influência que a esquerda exerce sobre as redações, a academia e o mundo artístico propaga conceitos ideológicos como se fossem verdades certificadas. Quem discorda é patrulhado por “especialistas” arregimentados pela mídia em geral – que, mais das vezes, busca quem confirme sua tese.

Ler mais