eleicoes-2018

MINAS GERAIS: Cenário adverso para Aécio e Pimentel no Estado  

Imprimir

Pesquisa realizada pelo instituto Paraná sobre as eleições de 2018 em Minas Gerais (MG) mostra uma conjuntura de dificuldades tanto para o senador Aécio Neves (PSDB-MG) quanto para o governador Fernando Pimentel (PT-MG).

Apesar de Aécio liderar as pesquisas de intenção de voto para governador e senador (ver tabelas abaixo), seu patamar é inferior ao que já teve no passado. Além disso, a sondagem aponta que 36,9% dos entrevistados querem que Aécio não seja candidato a nenhum cargo em 2018. 19,9% afirmaram que o senador do PSDB deveria disputar novamente o Palácio do Planalto. Outros 19% citaram o governo de MG como opção. 13,3% defendem que ele seja candidato à reeleição ao Senado, enquanto 6,5% querem que Aécio busque uma vaga na Câmara dos Deputados.

Outra informação negativa sobre Aécio Neves é que para 50,8% dos entrevistados as denúncias de corrupção contra ele são verdadeiras, enquanto 32,4% acreditam serem falsas.

Em relação a sucessão presidencial, Aécio está em segundo lugar, sendo superado pelo ex-presidente Lula (PT). Ou seja, nem mesmo entre os mineiros o senador tucano é o preferido na disputa pelo Palácio do Planalto.

Fernando Pimentel, por sua vez, também está desgastado junto aos mineiros. Sua administração como governador é avaliada positiva (ótimo/bom) por 24,2% dos entrevistados. 36,2% classificam a gestão como regular, enquanto a maioria (37,3%) tem uma avaliação negativa (ruim/péssimo). Com essa popularidade, Pimentel teria fôlego para chegar ao segundo turno caso dispute à reeleição. Porém, dada sua desaprovação, o risco de derrota é significativo.

Assim como ocorre nas denúncias de corrupção contra Aécio, 58,9% dos entrevistados afirmam que as acusações contra Pimentel são verdadeiras. Apenas 19,9% acreditam que são falsas.

A disputa pelo governo de Minas Gerais

Caso o PSDB lance Aécio Neves ou Antônio Anastasia, atualmente senadores e que já governaram o Minas Gerais, os tucanos largam em vantagem na disputa pelo Palácio da Liberdade. Nota-se que tanto Aécio quanto Anastasia tem praticamente a mesma densidade eleitoral. Em segundo lugar aparece o atual governador Fernando Pimentel (PT), potencial candidato à reeleição.

Governo MG

No cenário em que o candidato do PSDB não é Aécio nem Anastasia, a liderança fica com Fernando Pimentel. O deputado estadual Dinis Pinheiro (PSDB) teria apenas pouco mais de 6% das intenções de voto. Assim, a tendência é que os tucanos lancem Aécio Neves ou Antônio Anastasia.

Aécio só deverá concorrer novamente ao Palácio da Liberdade caso a conjuntura lhe dê segurança de vitória, pois seu mandato de senador encerrará em dezembro de 2018. Assim, se concorrer a governador e perder, ficaria sem mandato. Já Anastasia, como seu mandato no Senado termina apenas em 2022, poderá arriscar mais, até mesmo arriscando disputar o governo do Estado diante de um cenário de incertezas.

Há espaço para o surgimento de uma novidade a disputa entre tucanos e petistas, pois além de mais de um terço dos entrevistados declarando voto em branco, nulo ou se dizendo indecisos, o ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda (PSB), o empresário Josué Alencar (PMDB) e o deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB) apresentam índices interessantes se considerarmos a distância em relação ao pleito.

A disputa pelo Senado

Entre as opções disponíveis para Aécio Neves (PSDB) nas eleições de 2018, a mais “segura” seria ele disputar a reeleição ao Senado. Como Aécio tem mais de 39% das intenções de voto e há duas cadeiras em disputa, as chances de vitória são boas. A surpresa na primeira pesquisa para o Senado é a intenção de voto da deputada estadual Marília Campos (PT), que hoje aparece em segundo lugar.

pesquisa senado MG

Potencial candidato à reeleição, Zezé Perrella (PMDB) terá uma disputa difícil pela frente, principalmente se Aécio concorrer a senador. O mesmo ocorre com o vice-governador Antônio Andrade (PMDB). Quem tenta surfar na onda da “anti-política” é o apresentador da TV Record, Carlos Viana (PRB).

Apesar da vantagem inicial de Aécio Neves por uma das duas vagas ao Senado, a disputa está indefinida. Cerca de um terço dos mineiros estão localizados entre o chamado “não voto” (brancos, nulos e indecisos).

Sucessão Presidencial

Nota-se que no cenário em que Aécio Neves aparece como o candidato do PSDB ao Palácio do Planalto, Lula (PT) aparece na liderança, assim como nas outras simulações, no reduto eleitoral do senador tucano. Além de estar atrás do ex-presidente, Aécio está tecnicamente empatado com o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) e a ex-senadora Marina Silva (REDE).

Pesquisa presidente MG

Quando o candidato do PSDB à presidência da República não é Aécio Neves, Lula continua na liderança. Nesse cenário, Bolsonaro e Marina dividem a vice-liderança. Percebe-se que tanto o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), quanto o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), tem praticamente a mesma densidade eleitoral entre os mineiros.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados