ajuste

Preocupação com Previdência adia outros itens do ajuste

Imprimir

O foco do governo nas últimas semanas tem sido a Reforma da Previdência. Para aumentar o apoio ao tema, o presidente da República abriu negociações com os aliados sobre a Reforma Ministerial, promoveu uma série de reuniões com líderes e aliados e negociou a formatação de uma reforma mais enxuta.

Imposto de Renda 2018

Assim, o governo parece ter fechado os olhos para outros projetos também importantes para o ajuste fiscal de 2018. A Casa Civil não sabia, por exemplo, que a Medida Provisória nº 806/17, que trata do imposto de renda sobre fundos de tributação, tem que ser convertida em lei até 31 de dezembro de 2017 para que possa valer em 2018. A liderança do governo no Senado também não sabia. A tributação pode render ao governo R$ 6 bilhões no próximo ano.

Reoneração da folha

O projeto que trata da reoneração da folha de pagamento continua em discussão em uma Comissão Especial da Câmara (PL nº 8.456/17). O governo calculava economizar cerca de R$ 10,036 bilhões em 2018 com esse projeto. Entretanto, alguns setores devem ficar de fora. Além disso, no melhor cenário, a Câmara deve aprovar essa matéria apenas na segunda quinzena de dezembro. No Senado, a aprovação pode ficar apenas para março. Por se tratar de contribuição, somente entra em vigor três meses após a sanção, ou seja, a partir de julho. O impacto para 2018 pode ficar em torno de R$ 2 bilhões.

Reajuste dos servidores

Também encontra grande resistência entre os parlamentares a MP que adia o reajuste salarial dos servidores públicos, além de aumentar de 11% para 14% a contribuição previdenciária do setor. Sua comissão sequer foi instalada.

Esta semana, cinco medidas provisórias podem perder validade. Uma delas é a que institui um novo marco regulatório para a mineração. Na avaliação de líderes partidários, trata-se de uma demonstração de fragilidade do governo. Enquanto o Planalto busca o apoio de 308 votos para aprovar a Reforma da Previdência, não consegue dar conta de medidas provisórias que requerem apenas apoio de maioria simples para serem aprovadas.

Charge de Amorim para humorpolítico.com.br

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O servidor na regra de transição da reforma de previdência


A Proposta de Emenda à Constituição 6/19, encaminhada ao Congresso pelo governo Jair Bolsonaro no dia 20 de fevereiro, faz a opção pela desconstitucionalização das regras previdenciárias, remetendo para a lei complementar a definição dos regimes previdenciários.

Ler mais

Aposentadoria do servidor no governo Bolsonaro


Vamos tentar explicar, do modo o mais didático possível, como ficarão as aposentadorias e pensões na reforma da previdência do Governo Bolsonaro, caso prevaleça a minuta que vazou no último dia 28 de janeiro.

Ler mais

Reforma da previdência de Bolsonaro para o regime geral


A proposta de reforma da previdência do governo Jair Bolsonaro, de acordo com a versão a que tivemos acesso, amplia as exigências para a concessão de benefícios do regime geral, com aumento da idade mínima, ampliação do tempo de contribuição e redução do valor dos benefícios, além de abrir caminho

Ler mais

O servidor público na reforma da previdência de Bolsonaro


A proposta de reforma da previdência do governo Jair Bolsonaro, segundo versão a que tivemos acesso, pretende unificar as regras dos regimes geral e próprio, impondo novas exigências para a concessão de benefícios, que alcançam a todos os segurados, em particular aos servidores públicos

Ler mais