eleicoes-2016

Alckmin rumo à vitória

Imprimir

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), caminha para se tornar o maior vencedor das eleições municipais deste ano. Contra aliados e parte do seu próprio partido, Alckmin sacou da cartola o empresário João Doria para disputar a prefeitura de São Paulo. Com o apoio do governador, ele ultrapassou os candidatos Celso Russomano (PRB), Marta Suplicy (PMDB) e o prefeito Fernando Haddad (PT), que tenta a reeleição.

Pesquisa do Ibope, divulgada ontem (28), mostra o tucano isolado na disputa, com 28% das intenções de votos. Russomanno (PRB), por outro lado, oscilou negativamente, e continua em tendência de queda. Ele passou de 24% a 22%. A margem de erro desta pesquisa é de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos. Russomanno e Doria continuam tecnicamente empatados.

Marta manteve o terceiro lugar, com 16% – ante 15% do levantamento anterior. Ela está tecnicamente empatada com Haddad, que foi de 12% para 13%. Luiza Erundina (PSOL) também teve oscilação positiva, de 4% para 5%. Major Olímpio (SD), João Bico (PSDC), Levy Fidelix (PRTB) e Ricardo Young (Rede) têm 1% cada.

Confirmadas as pesquisas, Alckmin entra com força para disputar a presidência da República pelo PSDB, em 2018, contra o senador Aécio Neves (MG) e o ministro José Serra.

Código Brasileiro de Aeronáutica

Será encerrado na sexta-feira (30) o prazo para apresentação de emendas ao PLS 258/2016, que atualiza o Código Brasileiro de Aeronáutica (CBA). O tema é discutido em uma comissão especial no Senado. Um requerimento do presidente do colegiado, senador Vicentinho Alves (PR-TO), para estender o prazo de emendas até o fim de outubro, deve ser votado na próxima semana. Desde julho, foram realizadas várias audiências públicas para aprimorar a regulação da aviação. O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) esteve presente em quase todas elas com propostas para melhorar a rotina da categoria.

Uso de mercúrio

Um projeto de lei (4890/16) da deputada Soraya Santos (PMDB-RJ) veda o uso, manipulação e armazenamento de produtos com mercúrio em unidades de saúde e cria regras para o manuseio e descarte da substância, e em produtos odontológicos como amálgama e em termômetros. Ainda de acordo com a proposta, o profissional com contato direto ou indireto com mercúrio deverá receber instruções sobre os protocolos de proteção, bem como dispor dos equipamentos de segurança necessários para manuseio do produto. Além disso, o descarte ficará a cargo de empresa especializada e em aterro sanitário industrial.

Proteção ao meio ambiente

Com o objetivo de chamar atenção para a atual crise hídrica do Brasil, o deputado Cícero Almeida (PMDB-AL) apresentou um projeto de lei (PL 5338/16) que prioriza, nos convênios com os ministérios do Meio Ambiente e da Integração Nacional, os municípios com programas de preservação de nascentes e de conservação de matas ciliares nas margens de riachos e rios do seu território. “Trata-se de incentivar os municípios a executar programas de preservação das nascentes, recomposição e conservação das matas ciliares, garantindo o acesso da população à água”, diz Cícero.

Crime de quebra de sigilo

Tramita na Comissão de Constituição e Justiça do Senado um projeto de lei (PLS 342/16) que altera o sigilo das operações de instituições financeiras. A proposta do senador Raimundo Lira (PMDB-PB) é aumentar a pena em casos de crime de quebra de sigilo. O texto amplia de dois para seis anos a pena de reclusão para tais infrações. Hoje, a legislação estabelece pena de um a quatro anos de reclusão. Além disso, o projeto estabelece multa para esse tipo de crime.

Balas de borracha

No Senado, a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) discute o projeto (PLC 199/2015) que estabelece regras para o uso de balas de borracha em operações de policiamento e manutenção da ordem pública. De acordo com o texto, a munição só poderá ser disparada após esgotamento de todos os procedimentos de menor força e avaliação dos riscos pelo comando da operação. A autoridade responsável pela ordem de disparo deve enviar a seus superiores um relatório detalhando as circunstâncias da decisão. Apenas policiais especialmente treinados no manejo de armas podem usar balas de borracha.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem dinheiro para os rábulas


O Estadão publicou no último dia 27 de março levantamento sobre a posição de 14 candidatos à Presidência da República em relação à possibilidade de prisão em segunda instância. A chamada esquerda votou contra a atual, e frágil, jurisprudência.

Ler mais

O Sistema Político Brasileiro faliu e precisa ser reinventado


O Sistema Político Brasileiro, por razões estruturais e operacionais de suas instituições, é um dos mais complexos, fragmentados, caros e ineficientes do mundo. Ademais, o Parlamento convive diuturnamente com episódios de corrupção, vulnerabilidade aos lobbies e captura pelo Executivo.

Ler mais

Os ratos da Lava-Jato e o apartheid carcerário


Quando decidiram que era tarde da noite para decidir sobre a prisão em segunda instância, os juízes da Suprema Corte abriram uma brecha para a soltura dos meliantes do erário. Se decretarem a alforria de ladrões graúdos, os onze supremos sufetas estarão sepultando a Lava-Jato.

Ler mais

A lógica do paternalismo e o Estado controlador


A influência que a esquerda exerce sobre as redações, a academia e o mundo artístico propaga conceitos ideológicos como se fossem verdades certificadas. Quem discorda é patrulhado por “especialistas” arregimentados pela mídia em geral – que, mais das vezes, busca quem confirme sua tese.

Ler mais