clipping-politica-brasileira

Previdência precisa passar pela Câmara até 15 de Dezembro

Imprimir

Após declarações pessimistas do presidente Michel Temer o governo tenta dar a volta por cima na Reforma da Previdência. Arthur Maia, relator da matéria na Câmara afirmou que, se o novo texto da proposta não for votado no plenário da Casa em dois turnos até o dia 15 de dezembro, será muito difícil aprová-lo.

“Temos uma janela estreita. Se não votarmos aqui na Câmara dos Deputados até o dia 15 de dezembro e contar com a boa vontade do Senado para aprovar ainda este ano, está claro que as coisas ficam mais difíceis”, declarou Artur Maia.

Novo chefe da PF

A Polícia Federal (PF) tem uma nova chefia. Fernando Segóvia, foi o escolhido de Temer para substituir  Leandro Daiello, que ocupava o posto desde 2011, o primeiro ano de governo de Dilma Rousseff. A missão de Segóvia não será fácil pois a PF passa por um período de muita animosidade interna entre a Associação de Delegados da Polícia Federal e demais sindicatos da classe. Com perfil agregador o escolhido tem o apoio da maior dos sindicatos e também era o nome preferido de políticos ligados ao presidente Temer.

Venezuela sofrerá mais sanções internacionais

Após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelar uma série de embargos financeiros impostos à Venezuela e a membros do seu governo, Maurício Macri, presidente da Argentina, defendeu que o embargo americano deva incluir também as exportações de petróleo, principal produto fornecido pela Venezuela aos EUA. Macri é o primeiro líder latino americano a defender uma medida tão severa contra a gestão de Nicolás Maduro, presidente da Venezuela.

A União Europeia (UE) anunciou hoje também que irá acompanhar a iniciativa dos EUA e vai impor um embargo de armas entre outras sanções possíveis caso a situação da Venezuela se agrave. O bloco suspenderá o fornecimento de qualquer equipamento que possa ser usado para apoiar o movimento de repressão interna e vigilância.

Com informações do Globo, Estadão e Folha.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

A fragmentação da esquerda


Manuela d’Ávila, Ciro Gomes, Marina Silva a pulverização da esquerda não interessa ao PT pois fragiliza a candidatura de Lula, caso consiga ser candidato. E há ainda parte do eleitorado de Lula que votaria em Bolsonaro caso Lula não concorresse à presidência em 2018.

Ler mais