agenda-politica-brasileira

Carlos Marun toma posse na Secretaria de Governo

Imprimir

Veja outros destaques da agenda do dia:

1. O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) toma posse na Secretaria de Governo no Palácio do Planalto, às 15 horas.

2. Diretório Nacional do PT começa a discutir estratégia para 2018.

3. A presidente do STF, Cármen Lúcia, se reúne nesta sexta com o diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segovia, que pode entregar o resultado de investigação a respeito de menções a ministros do Supremo por delatores da JBS.

4. Reunião do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) discute a convalidação dos benefícios fiscais e a redução de alíquotas tributárias.

5. Governo promove leilão de 4.919 km de linhas de transmissão e diversas subestações divididas em 11 lotes, localizados em 10 estados (Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins), que exigirão R$ 8,7 bilhões em investimentos.

6. O Ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso participa de evento sobre desafios do Brasil na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

7. O Diretor-geral da Organização Mundial do Comércio, Roberto Azevedo, concede entrevista.

8. O IBGE divulga Pesquisa mensal de serviços de outubro

9. FGV divulga Indicador do Comércio Exterior e Sondagem de Investimentos

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais