resumo-da-politica

Clima político da semana: Juros e Moraes no STF

Imprimir

Para esta semana, na economia, destaque para a reunião do Banco Central para anunciar a nova taxa básica de juros. O Senado analisa a indicação de Alexandre de Moraes para o STF e o projeto sobre regularização de ativos não declarados de brasileiros no exterior. Se aprovado, segue para sanção. Na Câmara, prosseguem os debates sobre as reformas trabalhista e previdenciária.

Banco Central decide sobre juros

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne, nesta terça e quarta-feira (21 e 22), para decidir a taxa básica de juros (Selic), hoje em 13% ao ano.

A alta de preços em janeiro (0,38%), que veio abaixo da expectativa, fez o mercado rever a projeção da inflação para este ano, de acordo com pesquisa do Banco Central. A projeção caiu de 4,64% para 4,47%. Abaixo da meta de 4,5%.

Na reunião de janeiro, o Banco Central surpreendeu e cortou os juros em 0,75%. Há expectativa de novo corte. Seria a quarta queda consecutiva, agora de 13% para 12,25%.

TENDÊNCIA: Redução da Selic de 13% para 12,25%

Senado analisa indicação de Moraes para o STF

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado analisa, na terça-feira (21), a indicação do ex-ministro da Justiça Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Uma vez aprovado pela comissão, seu nome será submetido ao plenário, o que deve ocorrer no mesmo dia. Para ser aprovado, é necessário o apoio da maioria absoluta dos senadores – 42 votos.

Como o ex-ministro do STF Carlos Velloso recusou o convite para o ministério da Justiça, o presidente Michel Temer procura um novo nome, que pode ser anunciado depois do carnaval. Um dos mais cotados hoje é o do vice-procurador geral da República, José Bonifácio de Andrada.

TENDÊNCIA: Aprovação da indicação de Alexandre Moraes

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem dinheiro para os rábulas


O Estadão publicou no último dia 27 de março levantamento sobre a posição de 14 candidatos à Presidência da República em relação à possibilidade de prisão em segunda instância. A chamada esquerda votou contra a atual, e frágil, jurisprudência.

Ler mais

O Sistema Político Brasileiro faliu e precisa ser reinventado


O Sistema Político Brasileiro, por razões estruturais e operacionais de suas instituições, é um dos mais complexos, fragmentados, caros e ineficientes do mundo. Ademais, o Parlamento convive diuturnamente com episódios de corrupção, vulnerabilidade aos lobbies e captura pelo Executivo.

Ler mais

Os ratos da Lava-Jato e o apartheid carcerário


Quando decidiram que era tarde da noite para decidir sobre a prisão em segunda instância, os juízes da Suprema Corte abriram uma brecha para a soltura dos meliantes do erário. Se decretarem a alforria de ladrões graúdos, os onze supremos sufetas estarão sepultando a Lava-Jato.

Ler mais

A lógica do paternalismo e o Estado controlador


A influência que a esquerda exerce sobre as redações, a academia e o mundo artístico propaga conceitos ideológicos como se fossem verdades certificadas. Quem discorda é patrulhado por “especialistas” arregimentados pela mídia em geral – que, mais das vezes, busca quem confirme sua tese.

Ler mais