entrevista

Entrevista: Baleia Rossi – líder do PMDB na Câmara

Imprimir

Em uma semana em que o presidente, Michel Temer, revelou estar ciente das dificuldades que a Reforma da Previdência enfrentará no Congresso, o Blog da Política Brasileira entrevistou o deputado federal Baleia Rossi (SP), líder do PMDB na Câmara. Rossi comentou sobre as Reformas, o ajuste fiscal e outros desafios do governo em 2017.

Quais as perspectivas de votação das medidas de ajuste fiscal até o fim do ano?

Acredito que o Congresso Nacional vai priorizar a votação das medidas de ajuste fiscal e votar até o final deste ano. Neste momento de reação de nossa economia esse é o assunto mais importante para debatermos.

Há muitas matérias relacionadas aos servidores, como contribuição previdenciária e adiamento de reajustes salariais. Como o Congresso deve reagir à pressão da categoria?

A situação fiscal do Brasil é muito delicada. Neste momento precisamos que os parlamentares tenham responsabilidade ao debater esses assuntos. O equilíbrio das contas públicas é que vai garantir o pagamento dos salários e das aposentadorias em dia. Temos estados e municípios que já estão absolutamente comprometidos e onde os servidores estão muito prejudicados.

Com relação à Reforma da Previdência, o que pode andar e até quando seria a data-limite para o Congresso concluir sua aprovação?

Qualquer votação que depender de votação qualificada, como uma PEC, com necessidade de 308 votos, terá dificuldade de passar. Uma hipótese é fatiar a reforma para superar as barreiras de parte dos parlamentares. Mas isso depende de muito diálogo e da reorganização da base.

O deputado, presidente estadual do PMDB em São Paulo, é também o personagem da semana do BPB. Veja como é a sua presença nas redes sociais.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais