eleicoes-2018

EXCLUSIVO: FHC lança Alckmin para 2018

Imprimir

Após o polêmico artigo publicado este domingo sobre o futuro do PSDB e possível desembarque do governo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso responde, em entrevista exclusiva, porque apoia a candidatura do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como candidato tucano nas eleições de 2018.

O PSDB estará unido em torno de uma candidatura presidencial?

Como nas eleições anteriores, depois de muitas rusgas, o PSDB convergirá para sua candidatura presidencial.

Na sua opinião, quem é o candidato mais qualificado para representar o PSDB na disputa?

Candidatos potenciais sempre há vários; candidatura é outra coisa: um nome que expresse uma base política e tenha apelo para setores da sociedade. Na atualidade penso que o governador [Geraldo] Alckmin está melhor posicionado para assumir este papel. Caberá a ele, ao mostrar o rumo que propõe para o Brasil, consolidar os apoios políticos e sociais para dar solidez à candidatura do PSDB.

Independente de candidaturas e do eventual desembarque do governo, o PSDB deve apoiar a agenda de reformas no governo Temer?

O apoio à continuidade das reformas e da consolidação fiscal são condições necessárias para isto. Sem que nos esqueçamos, contudo, que o crescimento econômico e as políticas de redução das desigualdades hão de formar o núcleo de um programa capaz de dar sentido à candidatura e de obter votos.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais