clipping-politica-brasileira

Gilmar Mendes manda Adriana Anselmo pra prisão domiciliar

Imprimir

O ministro do Supremo, Gilmar Mendes, acaba de tomar uma decisão individual e transformou a prisão preventiva de Adriana Anselmo em domiciliar, a pedido da defesa. A mulher do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, que também está preso, já havia estado algum tempo em prisão domiciliar e estava na prisão de Benfica junto de outros presos da Lava-Jato.

Acordo de leniência da Camargo Corrêa revela cartel em obras de metrô

O acordo firmado pelo Ministério Público Federal e Cade com a empreiteira Camargo Corrêa revela que o cartel de empreiteiras atuou em 8 estados brasileiros em obras de metrô nos últimos 16 anos. Esse acordo foi firmado no âmbito da Lava-Jato.

Jucá: Não haverá retaliação mas vai ter valorização

O PMDB segue com a defesa da Reforma da Previdência e já se prepara para a retomada das negociações pós recesso parlamentar. O partido fechou questão a favor da reforma e ao invés de impor punições aos infiéis vai oferecer maior participação do fundo partidário como incentivo aos que forem leais.

“Não vai ter retaliação, mas vai ter valorização, ou seja, aqueles que são mais fechados com a posição do partido, têm que ser valorizados, portanto nós vamos dar um tratamento mínimo a todos, mas a Executiva Nacional vai ter o cuidado de atuar de forma que aquelas figuras que são mais emblemáticas, que são candidatos a governador, a senador, a deputado federal, que têm sido leais ao partido, devem receber um tratamento diferenciado”, disse Romero Jucá, presidente do partido e líder do governo no Senado.

TSE aprova resoluções com regras para as eleições 2018

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) aprovou dez resoluções para as eleições de 2018. As regras mantém quase tudo que foi definido na reforma política sobre prestação de contas, calendário eleitoral, registro de candidaturas e pesquisas de intenção de voto, entre outras. O autofinanciamento ainda deve ser discutido após a derrubada do veto do presidente Michel Temer pelo congresso na semana passada. Ainda podem ser feitas alterações até o dia 5 de março.

Com informações da Folha, Globo news e Estadão

 

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados