politica

TSE deve retomar julgamento da chapa Dilma-Temer apenas em maio

Imprimir

Em sessão extraordinária, presidida pelo ministro Gilmar Mendes, o Tribunal Superior Eleitoral acatou pedido da defesa da presidente Dilma Rousseff e o julgamento do mérito do processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer foi adiado.

A Corte decidiu conceder mais 5 dias para que sejam apresentadas as alegações finais da defesa. Como também foi aceito pedido para que João Santana, Mônica Moura e André Santana sejam ouvidos, o novo prazo de 5 dias somente será contado após esses depoimentos.

Por isso, o julgamento pode ser retomado apenas ao final de maio ou início de junho. Com isso, os ministros Henrique Neves e Luciana Lóssio não devem participar. Seus mandatos terminam no dia 16 de abril e 5 de maio, respectivamente.

Gilmar Mendes: agenda internacional

A agenda é definida pelo presidente do TSE, Gilmar Mendes. Ele tem uma extensa agenda internacional ao longo do mês de abril. Mendes viaja para os Estados Unidos (6 a 9), onde participa de uma conferência. Entre os dias 13 ao dia 17, tem viagem particular. De 18 a 20, estará presente em um evento em Lisboa. De lá parte para acompanhar as eleições na França. O presidente do TSE retorna ao Brasil no dia 25.

O adiamento, no limite, acaba por beneficiar o presidente Michel Temer. Quanto mais o tempo passa, mais reduzida fica a chance de cassação da chapa, risco que a Arko Advice calcula em 20%.

Veja na íntegra a sessão extraordinária do TSE de 4/4/2017:

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais