agenda-politica-brasileira

Greve geral

Imprimir

Os principais eventos desta sexta-feira são os seguintes:

1. O presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, faz palestra no evento “Finanças +” promovido pelo Grupo Estado (São Paulo). À tarde, no Rio de Janeiro, Ilan terá reunião com Gabriel Srour e Armínio Fraga, sócios da Gávea Investimentos, e também com o presidente do Conselho Consultivo Internacional do Banco Itaú, Pedro Malan, e o membro do Instituto de Estudos de Política Econômica/Casa das Garças Edmar Bacha.

2. Entidades sindicais promovem greve geral contra as reformas do governo de Michel Temer.

3. A Federação Única dos Petroleiros (FUP) fazem greve por tempo indeterminado.

4. O Banco Central divulga o resultado das contas do setor público consolidado em maio.

5. O IBGE divulga Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), que mostra o desemprego no trimestre encerrado em maio.

Aprovação da reforma trabalhista no senado

Para garantir a aprovação da Reforma Trabalhista no Senado, o governo se comprometeu a vetar pontos polêmicos, como o trabalho intermitente, jornada de doze horas de trabalho por trinta e seis de descanso, participação sindical na negociação coletiva, trabalho insalubre para gestantes, insalubridade e negociação coletiva, dano extra-patrimonial e autônomo em trabalho exclusivo.

Em seguida, será editada uma medida provisória. O BPB teve acesso a um texto que está em negociação entre o governo e entidades sindicais. Acesse o texto provisório da MP.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais