michel-temer

Lava-Jato atingiu imagem de Temer

Imprimir

Na pesquisa que realizou recentemente, o instituto Datafolha perguntou a opinião dos entrevistados sobre a participação ou não do presidente Michel Temer nos escândalos investigados pela Operação Lava-Jato.

As respostas mostraram que a opinião pública tem a percepção de que o presidente teve participação nos escândalos. Também avalia criticamente a decisão de Temer de demitir os ministros sob suspeição de envolvimento com corrupção somente se, eventualmente, eles se tornarem réus na Justiça.

Embora o clima político contribua para que a opinião pública tenha essa avaliação negativa, o fato é que a Lava-Jato tirou pontos importantes da popularidade do governo.

70% acreditam que Temer “participou do esquema”

Ao serem questionados se “o presidente Michel Temer teve participação direta ou não nos esquemas de corrupção descobertos pela Operação Lava-Jato”, mais de 70% disseram acreditar que sim.

Sobre os ministros investigados pela Lava-Jato, a maioria entende que o presidente deveria demiti-los.

A opinião sobre a participação direta ou não de Michel Temer na Lava-Jato chama a atenção, pois o presidente não foi mencionado como destinatário de propina, algo que tem ocorrido com diversos políticos. Mesmo assim, a maioria dos entrevistados entende que Temer “participou do esquema”.

Uma explicação para isso pode ser o fato de nove ministros de seu governo serem investigados pela Lava-Jato. Vale lembrar que alguns desses ministros são muito próximos a Temer, o que pode ter atingido negativamente a sua imagem.

Embora a economia seja um tema fundamental para que Michel Temer possa melhorar o seu nível de popularidade, é necessário um gerenciamento dos “estragos” que a Lava-Jato está produzindo em sua imagem e na de seu governo, pois a bandeira da ética está sendo muito cobrada pela opinião pública em relação ao sistema político como um todo.

Nesse ambiente, qualquer suspeita de envolvimento com desvios éticos leva a opinião pública a se posicionar criticamente em relação aos governos, políticos e partidos.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem dinheiro para os rábulas


O Estadão publicou no último dia 27 de março levantamento sobre a posição de 14 candidatos à Presidência da República em relação à possibilidade de prisão em segunda instância. A chamada esquerda votou contra a atual, e frágil, jurisprudência.

Ler mais

O Sistema Político Brasileiro faliu e precisa ser reinventado


O Sistema Político Brasileiro, por razões estruturais e operacionais de suas instituições, é um dos mais complexos, fragmentados, caros e ineficientes do mundo. Ademais, o Parlamento convive diuturnamente com episódios de corrupção, vulnerabilidade aos lobbies e captura pelo Executivo.

Ler mais

Os ratos da Lava-Jato e o apartheid carcerário


Quando decidiram que era tarde da noite para decidir sobre a prisão em segunda instância, os juízes da Suprema Corte abriram uma brecha para a soltura dos meliantes do erário. Se decretarem a alforria de ladrões graúdos, os onze supremos sufetas estarão sepultando a Lava-Jato.

Ler mais

A lógica do paternalismo e o Estado controlador


A influência que a esquerda exerce sobre as redações, a academia e o mundo artístico propaga conceitos ideológicos como se fossem verdades certificadas. Quem discorda é patrulhado por “especialistas” arregimentados pela mídia em geral – que, mais das vezes, busca quem confirme sua tese.

Ler mais