clipping-politica-brasileira

Leitura obrigatória: Lava-Jato procura provas contra Renan

Imprimir

A Polícia Federal cumpriu dois mandados de busca e apreensão em Alagoas na manhã desta sexta-feira (28). A operação foi batizada Satélites 2, e é desdobramento da Lava-Jato. A fase desta sexta foi autorizada pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo STF, dentro de um dos 13 inquéritos abertos para investigar o senador Renan Calheiros (PMDB). O objetivo é coletar provas de crimes contra a administração pública, lavagem de dinheiro, corrupção, organização criminosa, entre outros, em investigações relacionadas a desvio de recursos na Transpetro.

Greve Geral

As centrais sindicais que organizaram as paralisações de hoje afirmam que não contabilizaram números de adesões, mas, segundo a Força Sindical, passou de 40 milhões de pessoas. As manifestações foram contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária e a Terceirização.

Lula: Palocci pode prejudicar muita gente, menos eu.

O ex-presidente Lula afirmou que, se o ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci fizer uma delação premiada no âmbito da Operação Lava Jato pode prejudicar muita gente, menos ele. “Tenho certeza absoluta que o Palocci não vai fazer delação. Se fizer, ele pode contar tudo que sabe e tenho certeza que pode prejudicar muita gente, menos eu”.

Desemprego recorde

O desemprego subiu para 13,7% no trimestre de janeiro a março, segundo o IBGE. Essa foi a maior taxa de desocupação da série histórica, iniciada em 2012. No 1º trimestre, o Brasil tinha 14,2 milhões de desempregados, também batendo recorde da série histórica.

Contas de março

As contas do setor público consolidado, que englobam o governo federal, os estados, municípios e as empresas estatais, registraram um déficit primário (despesas maiores do que receitas) de R$ 11,04 bilhões em março, informou o Banco Central.

Com informações do Estadão, Folha, O Globo e Globo News.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

A agenda de Temer: economia e reformas


Michel Temer aposta suas últimas fichas na Reforma da Previdência, enquanto seu partido, o PMDB, usa tempo de propaganda para falar da retomada do crescimento, defender as reformas e criar uma imagem do que será o legado do governo Temer.

Ler mais