clipping-politica-brasileira

Justiça nega adiamento de depoimento de Lula

Imprimir

O juiz federal Nivaldo Brunoni, que substitui o relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), João Pedro Gebran Neto, indeferiu nesta terça-feira o pedido liminar da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender uma das ações penais a que ele responde na Justiça Federal do Paraná e, assim, adiar o depoimento do petista ao juiz Sergio Moro, marcado para as 14h de amanhã.

Moro tem procurado acelerar a frequência das oitivas e tem marcado até 15 por dia para acelerar os processos da Lava-Jato. Em depoimento ao juiz Sergio Moro, o pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente Lula, admitiu ter conversado com Marcelo Odebrecht sobre a instalação de uma nova sede para o Instituto Lula, em 2010, confirmando a declaração dada por Marcelo em seu acordo de delação premiada na Lava Jato.

Renan encontra-se com Temer

Senador Renan Calheiros encontra-se com o presidente Michel Temer em reunião da liderança do PMDB sobre reformas. Pode ser uma atenuação no distanciamento de Renan que nos últimos meses teceu fortes críticas às reformas pretendidas pelo governo.

Reforma da previdência

A comissão especial da Câmara continua com a análise dos destaques que podem modificar a proposta da reforma da previdência que chegará ao plenário da Câmara. Um destaque, que trata de ações judiciais que envolvem acidentes de trabalho, foi aprovado. Entre os destaques derrubados, estão o que visava manter como é hoje o cálculo de contribuição da aposentadoria rural e o que liberaria a concessão de isenção e outros benefícios a contribuintes da Previdência. Também foi derrubado um destaque que acabaria com a exigência de 25 anos de contribuição para dar direito à aposentadoria. Faltam ainda três destaques a serem analisados.

Rodrigo Janot pede impedimento de Gilmar Mendes

O pedido de impedimento do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), no julgamento do habeas corpus do empresário Eike Batista é o primeiro desse tipo apresentado pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Janot argumenta que Mendes estaria impedido pelo fato de sua mulher trabalhar num escritório de advocacia que o representa.

No entanto o ministro do Supremo já deixou claro que não irá se declarar impedido no caso. Não é o primeiro e certamente não será o último desacordo entre Janot e Mendes.

<blockquote class=”twitter-tweet” data-lang=”en”><p lang=”pt” dir=”ltr”>Apesar do pedido de Janot, Gilmar Mendes não irá se declarar impedido no caso Eike. <a href=”https://t.co/WccZXNQL9i”>https://t.co/WccZXNQL9i</a> <a href=”https://t.co/8J6BPnh6ZQ”>pic.twitter.com/8J6BPnh6ZQ</a></p>&mdash; Jornal O Globo (@JornalOGlobo) <a href=”https://twitter.com/JornalOGlobo/status/862036963246960641″>May 9, 2017</a></blockquote>

<script async src=”//platform.twitter.com/widgets.js” charset=”utf-8″></script>

Com informações do Estadão, G1, Folha e Globo News e Veja.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados