politica

Lula, o Lance Armstrong brasileiro

Imprimir

Lula pedalou, pedalou e perdeu duas vezes. Lula pedalou com mais força, mais afinco, venceu e vestiu a faixa verde e amarela na condição daquele que mais a mereceu na história do nosso país.

Lula seguiu vencendo e se tornou mito. Ser mito não é fácil. Ser mito embaralha o discernimento do certo e do errado. Ser mito confunde o servidor com o servido, e nesse caso o mito Lula serviu-se do banquete que não era dele.

Assim como Lance, Lula venceu um câncer e, assim como Lance, Lula seguia uma trilha de vitórias e conquistas que o descolavam da realidade.

No caminho, havia inimigos poderosos, mas aliados inseparáveis de uma sociedade que almeja ser justa. As leis. Mais do que isso, o nome menos glamouroso das leis: regras, que se tornaram apenas um pontinho distante na vida de mitos que já as ultrapassaram há tanto tempo.

Doping de Lula

Lula e Lance se doparam. O doping os ajudou a vencer e as vitórias os fizeram se dopar mais. O círculo vicioso viciou todos os que estavam embebedados com os mitos.

O doping de Lance fortaleceu seu fôlego, acelerou suas pedaladas. De tão moderno, só foi descoberto anos depois, pois não havia tecnologia necessária na época.

O doping de Lula turbinou seu partido, poliu a mensagem, trouxe amigos, criou laços financeiros.

Ainda há quem defenda e ame Lance. Carisma inegável e a capacidade sólida de ser o mito que o doping criou. Mas foi um mito de mentira.

O mesmo com Lula. Dirão que seu doping é irrelevante, que “muitos fizeram”. Verdade, mas quem fez nunca foi mito e quem quer ser mito nunca pode fazer o que Lula e Lance fizeram.

Publicado no Blog do Noblat em 14/07/2017

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Os três setores do sistema social no governo Bolsonaro


Com base nas propostas de campanha, no pensamento do presidente eleito, na visão de mundo e na trajetória das equipes (econômica, política e de infraestrutura militar), que darão rumo ao novo governo, bem como na grave crise fiscal em curso, é possível antecipar que o mercado será o mais beneficiado

Ler mais

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro


Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

Ler mais