clipping-politica-brasileira

Maia decide não pautar a previdência na próxima semana

Imprimir

Sem a garantia de ter os 308 votos necessários o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, decidiu não pautar o primeiro turno da votação da Reforma da Previdência para semana que vem. Com isso a votação ficaria para a semana do dia 13 de dezembro, dificultando ainda mais que a PEC tramite na Câmara antes do recesso parlamentar.

Lula: quem vota é o povo

Em reunião com dirigentes do PT de São Paulo, o ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que estão criando “uma guerra de classe” contra sua candidatura. Disse que seu governo é a prova de que o mercado não precisa temer a sua eleição e que quem vota é o povo e não o mercado. Na mesma reunião apoiou a candidatura de Luiz Marinho para o governo de São Paulo e Suplicy e Haddad para o Senado.

Parlamentares contra a privatização da Eletrobras

Três frentes parlamentares contra a privatização da Eletrobras que somam cerca de 70% do Congresso Nacional mostram a dificuldade que Temer e sua equipe econômica terão para emplacar a sua agenda de ajustes. É também um sinal que a Previdência dificilmente será votada na Câmara ainda em 2017.

PIB

O Globo consultou um grupo de especialistas que confirmam que os dados de recuperação da economia são promissores, apesar do PIB do terceiro trimestre abaixo do esperado.

“O PIB mostrou melhora dos fundamentos da economia: recuperação de emprego, renda, crédito e confiança, sustentaram o consumo, que se manteve firme mesmo com os efeitos do FGTS dissipados”, Alessandra Ribeiro, da Tendências Consultoria.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais