dilma

Tendência é manutenção do processo

Imprimir

Resumo da temperatura política depois do ato do presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão:

  • A solução está nas mãos do presidente do Senado, Renan Calheiros, que marcou a votação do impeachment para a quarta-feira, dia 11, em obediência à lei. Dificilmente mudaria essa decisão;
  • Espera-se uma solução política formal para o caso até o final dia. Vários recursos já chegaram ao Supremo, que poderá se pronunciar antes de Renan com tendência a desfazer a decisão de Maranhão;
  • A cúpula do governo que deverá assumir na quinta-feira mantém a convicção de que o prazo da votação será mantido;
  • O presidente da Câmara não tem competência para anular uma votação. Somente o Supremo tem essa competência, diante da comprovação de uma irregularidade;
  • Poderá ser pedida a cassação de Waldir Maranhão ao Conselho de Ética da Câmara por haver assinado ato que extrapola sua competência. Seu partido, o PP, pode expulsá-lo e pedir sua cassação ao TSE;
  • A avaliação dos políticos é que foi uma manobra destinada a tumultuar o processo do impeachment na véspera da votação que poderá afastar temporariamente a presidente;
  • Maranhão cumpriu a promessa feita aos jornalistas na sexta-feira: “Eu vou surpreender vocês”;
  • O ministro Luiz Fux negou mandado de segurança do governo que pedia a anulação do processo de impeachment com base no mesmo argumento do Waldir Maranhão (PP-MA), ou seja, que os líderes partidários não poderiam ter encaminhado os votos da bancada durante a votação na Câmara.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados