michel-temer

CNI/Ibope: cresce a avaliação positiva do governo Temer

Imprimir

Pesquisa divulgada hoje pela CNI/Ibope trouxe uma boa notícia para o presidente Michel Temer (PMDB): a avaliação positiva (ótimo/bom) do governo cresceu três pontos percentuais em relação a setembro. O mesmo aconteceu com a regular. Embora a avaliação negativa (ruim/péssimo) também tenha caído três pontos, o índice ainda continua acima dos 70%.

Indicadores econômicos

O aumento na popularidade do governo pode ser atribuído à melhora dos indicadores econômicos, como emprego, inflação e queda dos juros. Mesmo que lentamente, a opinião pública começa a sentir no seu dia-a-dia os reflexos dessa melhoria.

Segundo a pesquisa, a popularidade de Temer cresceu sobretudo entre as pessoas com mais de 55 anos. Nessa faixa etária, a avaliação positiva do governo saltou de 4% para 10%.

De acordo com a CNI/Ibope, também cresceu a aprovação da maneira de governar do presidente (de 7% para 9%), enquanto a desaprovação oscilou negativamente um ponto (de 89% para 88%).

A confiança em Michel Temer também cresceu (de 6% para 9%). Por outro lado, caiu o índice dos entrevistados que não confiam no presidente (92% para 90%).

Previdência: agenda impopular

Uma explicação para os índices negativos de desaprovação do governo é a agenda impopular do Palácio do Planalto (principalmente a reforma da Previdência) e temas relacionados à corrupção. Não por acaso, a notícia mais lembrada pelos entrevistados foi Previdência (19%) e corrupção (12%).

Como a economia continuará tendo uma trajetória lenta de recuperação, a tendência é que a avaliação positiva do governo continue baixa. Além disso, 69% acreditam que a gestão Temer continuará ruim/péssima. 20% afirmam que o governo será regular, enquanto apenas 7% apostam que será ótimo ou bom.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais