outros-temas

Painel: Murillo de Aragão fala sobre Eleições 2018

Imprimir

O cientista político Murillo de Aragão, sócio da consultoria Arko Advice, foi um dos entrevistados do programa Painel, com William Waack, no canal Globo News. Foram analisadas as mudanças que deverão ocorrer nas Eleições de 2018, com a Reforma Política, aprovada na semana passada no Congresso.

Murillo destacou, no que se refere ao eleitor, de que este tem sua parcela de culpa no cenário atual, uma vez que não se conecta com a política. A responsabilidade, portanto, não é exclusividade do mundo político.

Foi consenso entre os entrevistados que a reforma aprovada está longe de ser a ideal, mas para o cientista político, ainda assim é uma oportunidade de renovação. O paradoxo reside no eleitorado, que mesmo não se conectando em profundidade com a política, deverá votar de forma mais consciente no próximo pleito.

Os partidos políticos, as organizações suprapartidárias e o financiamento de campanhas também foram tópicos de discussão. Assista o programa na íntegra:

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Para vencer, Haddad precisa virar 10 milhões de votos em Bolsonaro


Se quiser ocupar o 3º andar do Palácio do Planalto a partir de 2019, Fernando Haddad (PT) precisará convencer 10 milhões de eleitores que tencionam votar em Jair Bolsonaro (PSL) a mudar de lado. O cálculo é baseado na última pesquisa do Datafolha de intenção de voto divulgada nesta quarta

Ler mais

De acordo com Ibope e Datafolha, eleitores apoiam a Velha Política


Pelo visto, o eleitor está satisfeito com os velhos políticos. Pesquisas de intenção de voto – tanto as majoritárias (abundantes) quanto as proporcionais (escassas) – apontam que políticos de velha cepa continuarão no comando dos executivos estaduais e das assembleias legislativas.

Ler mais

Datafolha e Ibope calculam 48 milhões eleitores pensando


As duas últimas pesquisas de intenção de voto do Datafolha (02/10) e Ibope (29-30/10) indicaram nova redução no número de eleitores pensando. São votantes que, na pesquisa espontânea, votam branco, nulo, não sabem ou não responderam.

Ler mais