dilma

Pesquisa devastadora para Lula, Dilma e o PT

Imprimir

Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná mostrou um cenário devastador para o ex-presidente Lula, a presidente afastada Dilma Rousseff e o PT.

Os governos Lula e Dilma são vistos, ao lado da Operação Lava-Jato, como os principais responsáveis pela crise política que atinge o país.

1

A gestão Dilma também é vista, em primeiro lugar, como a grande responsável pela crise econômica, seguida do governo Lula e depois pela Lava-Jato.

2

As notícias ruins não param. A sondagem também apontou que 64,8% dos entrevistados são favoráveis ao afastamento definido de Dilma do Palácio do Planalto. Apenas 31% querem o retorno da presidente afastada.

Já o PT é citado espontaneamente por mais de 56% dos entrevistados como o partido mais corrupto do país.

3

Visto anteriormente como “o partido do pobres”, principalmente durante o auge do chamado Lulismo, o PT possui hoje a imagem de uma sigla corrupta, o que é devastador para suas pretensões eleitorais de curto (eleições municipais de 2016) e médio prazo (eleições gerais de 2018).

Mesmo que Lula ainda preserve um capital político junto ao eleitorado de baixa renda e localizada nos municípios com até 20 mil habitantes, uma nova vitória do ex-presidente em 2018 diante de uma conjuntura tão adversa é pouco provável.

O mais grave para o PT é que o partido não possui apenas a marca da corrupção em sua imagem, mas os últimos dois presidentes petistas (Lula e Dilma) são vistos como os principais responsáveis pelas crises política e econômica.

Embora o PT seja uma legenda que ainda preserve uma importante inserção em sindicatos e em parte da intelectualidade brasileira, somente uma profunda mudança interna será capaz modificar a imagem do partido.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais