clipping-politica-brasileira

Leitura obrigatória: Previdência pode ser votada em maio

Imprimir

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a Reforma da Previdência pode ser votada na segunda ou terceira semana de maio. Mas o vice líder do governo, Darcísio Perondi (PMDB-RS), admitiu que o governo não tem votos e precisa de tempo para convencer a base. Ele previu a votação para o final de maio. A Comissão Especial da Previdência previu cancelou a reunião de hoje destinada a discutir o parecer do relator, deputado Arthur Maia (PPS-BA). A sessão foi transferida para 2 de maio e a votação para o dia 3. A tendência continua sendo de aprovação na próxima semana.

Reforma Trabalhista

O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que a Reforma Trabalhista não será aprovada como foi veio da Câmara dos Deputados.

Julgamento chapa Dilma-Temer

O ministro Herman Benjamin encerrou a fase de coleta de provas do processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer. De acordo com o presidente do TSE, Gilmar Mendes, o julgamento pode ser retomado em maio.

Contas do governo federal

As contas do governo federal registraram rombo recorde no mês de março e no primeiro trimestre deste ano, segundo o Tesouro Nacional. Somente em março, as despesas do governo superaram as receitas com impostos em R$ 11,06 bilhões – o pior resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1997. De janeiro a março, o déficit primário totalizou R$ 18,29 bilhões.

Remuneração acima do teto

O STF autorizou (27) que um servidor receba remuneração maior que o teto previsto na Constituição – atualmente de R$ 33,7 mil – caso acumule dois cargos públicos, somando o salário de cada um. A decisão vale para aqueles casos em que a própria Constituição permite o exercício de duas funções, como por exemplo, de funcionários de determinado órgão que também são professores numa universidade federal, ou de médicos que acumulam dois postos na rede pública.

Com informações do Estadão e Folha.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais