operacao-lava-jato

Aula de semiótica

Imprimir

A professora e pesquisadora da UFPR, Adriana Baggio, doutora em Comunicação e Semiótica na PUC-SP, mestre em Letras pela UFPB e especialista em Marketing e em Criação Publicitária, publicou em seu perfil do Facebook o texto: “Aula de semiótica”. O post, uma análise da capa do jornal Metro do dia 10 de maio, mostra como as imagens trazem mensagens implícitas e explícitas que às vezes podem nos escapar em uma leitura apressada.

Publicamos abaixo o texto na íntegra.

O sentido se produz pela diferença, pela oposição. O sentido se manifesta pela articulação de dois planos, o do conteúdo e o da expressão.

No plano do conteúdo desse texto (capa de jornal), temos a oposição entre duas figuras humanas. No plano da expressão, o texto convoca especialmente dois formantes plásticos: o cromatismo e a topologia.

No cromatismo, aquela oposição que produz o sentido se dá entre duas cores: vermelho e azul. As cores não têm um sentido intrínseco ou pré-discursivo. Seu sentido é dado por sua articulação no texto, que é produzido, obviamente, em um contexto.

Na topologia, temos duas posições marcantes: trás e frente, esquerda e direita. Uma das figuras humanas está atrás, à esquerda e é vermelha. A outra está na frente, à direita e é azul.

Cada par de figuras (vermelho x azul, trás x frente, esquerda x direita) constitui elementos de uma categoria. Tais categorias, colocadas em discurso, deixam de ser simples taxonomias e passam a ser axiologias, ou seja, atribui-se valor a cada elemento da categoria. Valor positivo (eufórico) para um, valor negativo (disfórico) para outro.

Considerando as escolhas de formantes plásticos, feitas pelo enunciador, para acompanhar cada uma das figuras humanas (figuras de conteúdo), qual delas ocupa a posição disfórica e qual ocupa a posição eufórica nesse texto semiótico?

E mais: se a categoria do plano da expressão composta pelas duas cores reveste uma categoria do plano do conteúdo que é de /partido político/, e sendo difícil ignorar a associação vermelho = PT em nosso atual contexto, quem é o azul e por que essa cor está na expressão do papel temático de um juiz, e não de um ator político?

Fim da aula de semiótica.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Reflexões sobre tendências do próximo Congresso


Salvo mudanças inesperadas no humor do eleitorado, a tendência será de reeleição entre 60% e 70% da atual Câmara dos Deputados – um dos mais altos das sete últimas eleições – o que poderá levar para a próxima legislatura as práticas e os vícios da atual composição legislativa.

Ler mais

A salvação de Lula interessa a muita gente. E pode vir pelo STF


Duas circunstâncias distintas concorrem para livrar o ex-presidente Lula da prisão. Uma delas passa pelo STF (Supremo Tribunal Federal), mais exatamente pelo juiz Dias Toffoli. Outra, pelos inúmeros suspeitos graúdos de rapinarem o erário…

Ler mais

O banco de reservas Petista


A condenação de Lula em segunda instância, de maneira unânime, pelo TRF-4, inviabiliza o caminho do ex-presidente ao Palácio do Planalto. O PT tem traçada a estratégia de manter a candidatura de Lula até o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) impedi-lo de disputar o Planalto novamente, como preveem

Ler mais