dilma

Agenda: dois senadores admitem rever voto pelo impeachment

Imprimir

  1. Em meio à crise política que atinge o governo interino de Michel Temer, que já teve que afastar dois ministros flagrados em grampos telefônicos tentando barrar a Operação Lava-Jato, os senadores Romário (PSB-RJ) e Acir Gurgacz (PDT-RO), que votaram pela abertura do processo de impeachment da presidente Dilma, admitem agora a possibilidade de rever seus votos no julgamento final, que deve ocorrer até setembro. A virada desses dois votos, caso se concretize, e a manutenção dos demais votos seriam suficientes para evitar a cassação definitiva da petista (O Globo – p.5).
  2. A Operação Lava-Jato recuperou R$ 545,9 milhões por meio de acordos de colaboração premiada, segundo o Ministério Público Federal e a Procuradoria-Geral da República. A força-tarefa afirma que os 108 pedidos de cooperação internacional feitos até então pela investigação permitiram rastrear o dinheiro em contas no exterior. Atualmente, a operação está na 30ª etapa. São 59 inquéritos no Supremo Tribunal Federal, envolvendo pessoas como foro privilegiado, e mais 41 ações criminais pela Justiça Federal no Paraná (G1).
  3. Contas voltaram ao azul em abril, mas têm pior 1º quadrimestre em 20 anos. O superávit primário foi de R$ 9,75 bilhões, diz Tesouro. De janeiro a abril, porém, as contas registraram déficit de R$ 8,45 bilhões. O secretário do Tesouro Nacional, Otávio Ladeira, explicou que a arrecadação é tradicionalmente maior em abril por conta do ingresso de receitas relativas ao ajuste do Imposto de Renda das empresas (G1).

Eventos:

  • Reunião do Conselho Monetário Nacional.
  • Aneel faz reunião extraordinária para definição da bandeira tarifária para junho.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais