clipping-politica-brasileira

Temer: “Embraer não será vendida”

Imprimir

A notícia que agitou as bolsas hoje no Brasil foi a confirmação de conversas entre a Boeing e a Embraer para uma combinação de negócios fez as ações da gigante brasileira subir 39%. O New York Times anunciou o interesse da Boeing em adquirir a empresa brasileira criando uma repercussão que fez com que o Planalto se manifestasse.

“No meu governo a Embraer jamais será vendida” – disse o presidente Michel Temer.

O governo foi pego de surpresa, no entanto especialistas da área militar já haviam percebido uma movimentação de lobistas e executivos americanos. A Boeing negocia uma associação já que sabe que o governo brasileiro não autorizaria a venda em função da posição estratégica da empresa, colaboração da Embraer com as Forças Armadas e uma Golden Share que dá poder de veto para o Planalto.

Bolsonaro não vai para o PSL

PSL rechaça novamente a possibilidade do deputado Jair Bolsonaro sair candidato pela legenda. O presidente do partido, o deputado federal Luciano Bivar, teve uma reunião sobre o assunto a pedido de Bolsonaro. Em nota oficial a Executiva Nacional do PSL diz que o pré-candidato não representa as ideias do partido:

“Não procedem, de forma alguma, as notícias de que o deputado federal Jair Bolsonaro possa se filiar ao PSL. O projeto político de Jair Bolsonaro é absolutamente incompatível com os ideais do LIVRES e o profundo processo de renovação política com o qual o PSL está inteiramente comprometido”, disse.

Moro diz a Segovia que investigações da Lava-Jato não estão concluídas

O Juiz Federal Sérgio Moro recebeu, em Curitiba, o delegado Fernando Segovia, novo chefe da Polícia Federal. O delegado garantiu fortalecimento do combate à corrupção e ampliação do efetivo contra o crime organizado,  por sua vez o magistrado da Lava-Jato, ressalvou que ‘investigações importantes’  ainda precisam ser concluídas e que a equipe de policiais em Curitiba precisa ser significativamente ampliada.

Com informações do Estadão e Folha.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais