clipping-politica-brasileira

Leitura obrigatória: Temer projeta ainda 120 dias caso seja cassado no TSE

Imprimir

O presidente Michel Temer tem se reunido com lideranças de partidos aliados, equipes do Planalto e ministros. Analisando todos os cenários possíveis chegou à conclusão de que caso o julgamento no TSE seja desfavorável para Temer, com todos os recursos possíveis, que a permanência do peemedebista à frente do governo seja de quatro meses após o fim do julgamento. Temer acredito que seja tempo suficiente para adiantar muito das reformas e deixar o país em uma situação melhor para o seu sucessor.

Mendes: Resolvam suas crises

No Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Gilmar Mendes mandou um recado à todos: “Resolvam suas crises” – disse o magistrado negando que a saída para a convulsão política causada pela delação da JBS esteja nas mãos do TSE.  Embora analistas acreditem que se esteja negociando uma saída para temer via judiciário mas sem passar pelo constrangimento de um Impeachment, Gilmar garantiu que o “tribunal não é um instrumento de solução de crise política”. Mendes disse também que o julgamento da chapa Dilma-Temer não será um julgamento político, será “jurídico e judicial”.

Novo Ministro da Justiça

No Planalto a novidade foi a nomeação de Torquato Jardim como Ministro da Justiça. Alçado do ministério da Transparência para o da Justiça pode indicar uma onda de mudanças no comando da Polícia Federal e na Procuradoria Geral da República. Em entrevista à Folha Jardim rebateu afirmações de que teria entrado para dificultar o caminho da Lava-Jato.

Com informações do Globo, Estadão e Folha.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais