agenda-politica-brasileira

Temer viaja para a China

Imprimir

Destaques da agenda do dia

1. O presidente Michel Temer viaja para a China para participar da reunião do Brics.

2. Sessão do Congresso Nacional para analisar vetos presidenciais, entre eles vetos a dispositivos do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017.

3. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reúne com líderes partidários para tentar um acordo em relação à reforma política.

4. A Câmara tenta concluir a votação da Medida Provisória nº 777/17, que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP). Também pode votar Reforma Política.

5. A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado sabatina Paulo Sérgio Neves de Souza e Maurício Costa de Moura, indicados para a diretoria do Banco Central.

6. A Comissão Mista de Orçamento pode votar parecer do deputado Marcos Pestana (PSDB-MG) ao projeto de lei que modifica as metas fiscais de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões.

7. A Comissão Especial da Reforma Política na Câmara pode votar o relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) que regulamenta o financiamento público de campanhas e o “distritão” (voto majoritário para deputados e vereadores), entre outros pontos.

8. O Tesouro Nacional divulga o resultado das contas do Governo Central de julho.

9. Veiculação do programa partidário do REDE, em cadeia de rádio e TV, com duração de dez minutos.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Justiça tem que ser para todos


Os últimos 33 anos no Brasil tiveram a marca indelével de três partidos: MDB, PSDB & PT. Neste interregno, quase tudo de bom, quase tudo de mau que ocorreu em terras brasilianas teve a participação da tríade.

Ler mais

Serie eleições 2018: priorizar o resgate da política.


O principal desafio da sociedade e das instituições, além dos próprios candidatos ao pleito de 2018, é superar a desilusão com a política. É preciso resgatar a importância da principal ou da única forma de resolução dos problemas coletivos fora do emprego da violência.

Ler mais

Por enquanto, espontânea e rejeição é o que interessa nas pesquisas


O alvoroço em torno das pesquisas de intenção de voto se justifica. Afinal, o grau de credibilidade de alguns institutos de pesquisa, como o Datafolha, torna-se um dos poucos referenciais concretos diante do achismo de palpiteiros.

Ler mais