eleicoes-2018

Datafolha e Ibope calculam 48 milhões eleitores pensando

Imprimir

As duas últimas pesquisas de intenção de voto do Datafolha (02/10) e Ibope (29-30/10) indicaram nova redução no número de eleitores pensando. São votantes que, na pesquisa espontânea, votam branco, nulo, não sabem ou não responderam.

Pelo Datafolha, são 47,1 milhões de pensadores (32%). No Ibope, 48,6 milhões (33%).

Nos levantamentos imediatamente anteriores, eram 51,5 milhões (35%), de acordo com o Datafolha, e 54,5 milhões de pensadores (37%), pelo Ibope. As quedas foram de 3 e 4 pontos percentuais, respectivamente.

Votantes suscetíveis

Eleitores que, numa enquete, não citam prontamente 1 candidato podem ser enquadrados basicamente em três categorias. Primeiro, os indecisos. Segundo, os indiferentes.

Terceiro, os que decidiram não participar das eleições (abstenção). Nas eleições de 2014, a abstenção foi de 19,4% do eleitorado. Somados aos brancos (3,8%) e nulos (5,8%), 3 em cada 10 eleitores não participaram da contagem dos votos válidos.

Portanto, são votantes mais suscetíveis a mudanças durante a campanha eleitoral. Estes números, no entanto, não expressam a totalidade do contingente de pensadores.

Convicção do voto

Os dois institutos fazem perguntas adicionais aos entrevistados para aferir a convicção do eleitor na sua escolha. O Datafolha chama de “decisão do voto”. Já o Ibope classifica de “decisão definitiva”.

O cálculo só pode ser feito em cima de pesquisas anteriores, já que os institutos não divulgam imediatamente a íntegra das pesquisas. Além disso, as perguntas não são sempre as mesmas. Assim as referências abaixo são o Datafolha de 26-28/09 e o Ibope de 22-24/09.

Segundo estes levantamentos, há 48 milhões de eleitores sem decisão definitiva, de acordo com o Datafolha, e 78 milhões, segundo o Ibope. Os números correspondem a 34% e 43% entre aqueles eleitores que, na pesquisa estimulada, votariam num candidato, branco ou nulo.

Em resumo, a cada grupo de 10 eleitores, 3 a 4 ainda não decidiram o voto. Ou se irão votar.

 

* Itamar Garcez é jornalista

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O servidor na regra de transição da reforma de previdência


A Proposta de Emenda à Constituição 6/19, encaminhada ao Congresso pelo governo Jair Bolsonaro no dia 20 de fevereiro, faz a opção pela desconstitucionalização das regras previdenciárias, remetendo para a lei complementar a definição dos regimes previdenciários.

Ler mais

Aposentadoria do servidor no governo Bolsonaro


Vamos tentar explicar, do modo o mais didático possível, como ficarão as aposentadorias e pensões na reforma da previdência do Governo Bolsonaro, caso prevaleça a minuta que vazou no último dia 28 de janeiro.

Ler mais

Reforma da previdência de Bolsonaro para o regime geral


A proposta de reforma da previdência do governo Jair Bolsonaro, de acordo com a versão a que tivemos acesso, amplia as exigências para a concessão de benefícios do regime geral, com aumento da idade mínima, ampliação do tempo de contribuição e redução do valor dos benefícios, além de abrir caminho

Ler mais

O servidor público na reforma da previdência de Bolsonaro


A proposta de reforma da previdência do governo Jair Bolsonaro, segundo versão a que tivemos acesso, pretende unificar as regras dos regimes geral e próprio, impondo novas exigências para a concessão de benefícios, que alcançam a todos os segurados, em particular aos servidores públicos

Ler mais