politica

Esforço pela Previdência continua

Imprimir

O governo entra em uma semana decisiva para a Reforma da Previdência e várias reuniões e articulações são esperadas. Na quarta-feira (6), a Executiva do PSDB reúne as bancadas da legenda na Câmara e no Senado para decidir se fechará questão a favor da reforma. O senador Aécio Neves (MG) e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (SP), defendem apoio. Mas outros tucanos têm afirmado que nenhum partido da base apresenta unidade sobre o tema.

Na noite de quarta-feira (06), está prevista uma reunião entre o presidente Michel Temer e os presidentes e líderes dos partidos aliados para um balanço sobre o apoio à reforma. Dependendo do resultado, ela poderá entrar na pauta na próxima semana.

TENDÊNCIA: PSDB não fechar questão

Dividido, PSDB realiza convenção no dia 9

O PSDB realiza convenção no sábado (9) para eleger seu novo presidente, em substituição ao senador Aécio Neves (MG). Até o momento, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, é o candidato único e deve ser eleito.

A convenção pode decidir sobre o desembarque da legenda do governo Temer. Hoje, o PSDB ocupa três ministérios: a Secretaria de Governo (Antonio Imbassahy), o Ministério das Relações Exteriores (Aloysio Nunes) e Direitos Humanos (Luislinda Valois).

A substituição de Imbassahy pelo deputado Carlos Marun (PMDB-MS) é tida como certa. Já Aloysio Nunes permanecerá no cargo, na “cota pessoal” de Temer, seja qual for a decisão do PSDB.

TENDÊNCIA: Eleição de Geraldo Alckmin

Banco Central decide novos juros

O Comitê de Política Econômica do Banco Central (Copom) se reúne, na terça e na quarta-feira (04 e 05), para decidir sobre a taxa básica de juros (Selic), hoje em 7,5% ao ano.

A expectativa é que ela seja reduzida para 7% ao ano. Seria a 10ª queda consecutiva em 2017. A ata da reunião será divulgada no dia 12 de dezembro.

Esta será a última reunião do Copom no ano. O colegiado volta a se reunir nos dias 06 e 07 de fevereiro.

TENDÊNCIA: Redução de 7,5% para 7%

Caravana Lula

O ex-presidente Lula dá início nesta segunda (04) à sua terceira caravana pelo país este ano. Até sexta, ele deve visitar dez cidades no Rio de Janeiro e no Espírito Santo.

O ex-presidente deve visitar universidades, obras iniciadas nas administrações do PT e beneficiários de programas sociais. Lula pretende exaltar o legado dos governos petistas, em especial a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016 no Brasil, e comparar com o que chama de paralisia do governo Michel Temer.

No Rio de Janeiro, terá encontros com intelectuais e participará de um ato em defesa da educação na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), que enfrenta grave crise financeira. Lula deve aproveitar a oportunidade para criticar a Reforma da Previdência. Pode também se juntar às paralisações que centrais sindicais organizaram para terça-feira (05) contra a proposta.

TENDÊNCIA: Lula concentrar ataques à Previdência

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Os três setores do sistema social no governo Bolsonaro


Com base nas propostas de campanha, no pensamento do presidente eleito, na visão de mundo e na trajetória das equipes (econômica, política e de infraestrutura militar), que darão rumo ao novo governo, bem como na grave crise fiscal em curso, é possível antecipar que o mercado será o mais beneficiado

Ler mais

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro


Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

Ler mais