politica

TSE deve retomar julgamento da chapa Dilma-Temer apenas em maio

Imprimir

Em sessão extraordinária, presidida pelo ministro Gilmar Mendes, o Tribunal Superior Eleitoral acatou pedido da defesa da presidente Dilma Rousseff e o julgamento do mérito do processo que pede a cassação da chapa Dilma-Temer foi adiado.

A Corte decidiu conceder mais 5 dias para que sejam apresentadas as alegações finais da defesa. Como também foi aceito pedido para que João Santana, Mônica Moura e André Santana sejam ouvidos, o novo prazo de 5 dias somente será contado após esses depoimentos.

Por isso, o julgamento pode ser retomado apenas ao final de maio ou início de junho. Com isso, os ministros Henrique Neves e Luciana Lóssio não devem participar. Seus mandatos terminam no dia 16 de abril e 5 de maio, respectivamente.

Gilmar Mendes: agenda internacional

A agenda é definida pelo presidente do TSE, Gilmar Mendes. Ele tem uma extensa agenda internacional ao longo do mês de abril. Mendes viaja para os Estados Unidos (6 a 9), onde participa de uma conferência. Entre os dias 13 ao dia 17, tem viagem particular. De 18 a 20, estará presente em um evento em Lisboa. De lá parte para acompanhar as eleições na França. O presidente do TSE retorna ao Brasil no dia 25.

O adiamento, no limite, acaba por beneficiar o presidente Michel Temer. Quanto mais o tempo passa, mais reduzida fica a chance de cassação da chapa, risco que a Arko Advice calcula em 20%.

Veja na íntegra a sessão extraordinária do TSE de 4/4/2017:

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Intelectuais atiram em Bolsonaro, mas acertam no PT


A ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência da República provocou histeria nos intelectuais da chamada esquerda. Diante da desconcertante simplificação da realidade por parte do capitão reformado, a elite acadêmica tem reagido com espasmos carentes de razão.

Ler mais

Menos violência & mais emprego, as armas de Bolsonaro


O capitão-mor Jair Bolsonaro vem antecipando, há quatro semanas, as políticas públicas do País a partir de 1º de janeiro, quando assumirá a presidência da República. Suas entrevistas e monólogos virtuais têm indicado o rumo para o meio ambiente, a política exterior e até a formulação das provas

Ler mais

Intelectuais atiram em Bolsonaro, mas acertam no PT


A ascensão de Jair Bolsonaro à Presidência da República provocou histeria nos intelectuais da chamada esquerda. Diante da desconcertante simplificação da realidade por parte do capitão reformado, a elite acadêmica tem reagido com espasmos carentes de razão.

Ler mais

Mudanças regimentais contra o kit obstrução


Os partidos da base de apoio do governo Bolsonaro vão apresentar duas condições para apoiar um candidato para presidente da Câmara: a) identidade programática com a agenda governamental e b) disposição para promover mudanças no regimento interno e reduzir a capacidade de obstrução da oposição

Ler mais