politica

Governo insiste na Previdência

Imprimir

A votação da Reforma da Previdência na Câmara foi agendada para a próxima semana. O governo ainda não conta com os 308 votos necessários para aprovar a proposta, mas espera obtê-los até o dia 18. A tarefa é difícil, pois ainda há muita resistência na base e a próxima semana é a última antes do recesso legislativo.

Há no Congresso quem defenda que o governo restrinja ainda mais o escopo da reforma. Hoje o texto engloba idade mínima, regra de transição e equiparação entre servidores públicos e privados. A sugestão é aprovar apenas a idade mínima. A Fazenda não concorda.

Apenas PMDB, PTB e PPS, num total de 85 deputados, decidiram fechar questão a favor da reforma. As outras siglas não devem seguir esse caminho, embora prometam apoio da maioria de suas bancadas.

TENDÊNCIA: Chance de aprovação permanece em 45%

Confaz discute convalidação dos benefícios fiscais

Na sexta-feira (15), o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) discute a convalidação dos benefícios fiscais concedidos pelos estados sem a aprovação do colegiado. A convalidação está prevista na Lei Complementar nº 156/16. Ela deu 180 dias para que o Confaz convalide os benefícios, o que significa que o conselho terá que apontar, até fevereiro, quais são os incentivos válidos de cada estado.

A minuta do documento está praticamente pronta e agora precisa obter aprovação de pelo menos dois terços dos estados. Esse total deverá ser distribuído nacionalmente, com pelo menos um terço dos estados de cada região concordando com a concessão.

Os estados do Sudeste querem mudar o prazo para o fim dos incentivos. Rio, São Paulo e Minas defendem a redução gradual dos benefícios, ao longo de 15 anos. Na última reunião (23/11), o Confaz analisou a questão e não houve acordo. O Amazonas pediu tempo para analisar o assunto.

TENDÊNCIA: Adiamento da decisão

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem abrir espaço à renovação, o PT engessa a esquerda conservadora


As coligações para o pleito de 7 de outubro confirmaram a tendência monopolista do PT de Lula. Num momento que pode se caracterizar por uma inflexão na história brasiliana, a sigla interditou o debate na esquerda conservadora.

Ler mais

O “messianismo” espreita o pleito de 2018, adverte Pedro Malan


Momentos de grande desilusão são portas de entrada para salvadores da pátria. Com a maioria dos eleitores fartos com todos os políticos, os eleitores de 2018 flertam com o messianismo.

Ler mais

80,16% dos deputados estaduais concorrem à reeleição


Levantamento das empresas Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical e MonitorLeg Comunicação Legislativa conclui que a renovação nas Assembleias Legislativas tende a ser baixa, especialmente em função do elevado percentual de candidatos à reeleição: 80,16%.

Ler mais

Câmara dos Deputados: renovação ou circulação no poder?


A próxima composição da Câmara dos Deputados terá o menor índice de renovação real, entendendo-se como tal apenas os nomes que nunca ocuparam cargos públicos. A renovação real será absolutamente residual. O que haverá será uma circulação no poder.

Ler mais