outros-temas

Painel: Murillo de Aragão fala sobre Eleições 2018

Imprimir

O cientista político Murillo de Aragão, sócio da consultoria Arko Advice, foi um dos entrevistados do programa Painel, com William Waack, no canal Globo News. Foram analisadas as mudanças que deverão ocorrer nas Eleições de 2018, com a Reforma Política, aprovada na semana passada no Congresso.

Murillo destacou, no que se refere ao eleitor, de que este tem sua parcela de culpa no cenário atual, uma vez que não se conecta com a política. A responsabilidade, portanto, não é exclusividade do mundo político.

Foi consenso entre os entrevistados que a reforma aprovada está longe de ser a ideal, mas para o cientista político, ainda assim é uma oportunidade de renovação. O paradoxo reside no eleitorado, que mesmo não se conectando em profundidade com a política, deverá votar de forma mais consciente no próximo pleito.

Os partidos políticos, as organizações suprapartidárias e o financiamento de campanhas também foram tópicos de discussão. Assista o programa na íntegra:

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem abrir espaço à renovação, o PT engessa a esquerda conservadora


As coligações para o pleito de 7 de outubro confirmaram a tendência monopolista do PT de Lula. Num momento que pode se caracterizar por uma inflexão na história brasiliana, a sigla interditou o debate na esquerda conservadora.

Ler mais

O “messianismo” espreita o pleito de 2018, adverte Pedro Malan


Momentos de grande desilusão são portas de entrada para salvadores da pátria. Com a maioria dos eleitores fartos com todos os políticos, os eleitores de 2018 flertam com o messianismo.

Ler mais

80,16% dos deputados estaduais concorrem à reeleição


Levantamento das empresas Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical e MonitorLeg Comunicação Legislativa conclui que a renovação nas Assembleias Legislativas tende a ser baixa, especialmente em função do elevado percentual de candidatos à reeleição: 80,16%.

Ler mais

Câmara dos Deputados: renovação ou circulação no poder?


A próxima composição da Câmara dos Deputados terá o menor índice de renovação real, entendendo-se como tal apenas os nomes que nunca ocuparam cargos públicos. A renovação real será absolutamente residual. O que haverá será uma circulação no poder.

Ler mais