estados

Amazonino Mendes vence eleição no Amazonas

Imprimir

Com 59,28% dos votos válidos, Amazonino Mendes (PDT) foi eleito o novo governador do Amazonas. Ele superou o ex-ministro e senador Eduardo Braga (PMDB-AM) que conquistou 40,72%. No primeiro turno, a vantagem também tinha sido de Amazonino, que superou Eduardo Braga por 38,77% contra 25,36% dos votos válidos.

O deputado estadual Bosco Saraiva (PSDB) foi eleito vice-governador na chapa encabeçada por Amazonino. Além de PDT e PSDB, a aliança foi composta por DEM, PV, PSD, PRB e PSC. O novo governador eleito, que já ocupou o cargo em três outras oportunidades, teve o apoio do atual prefeito de Manaus (AM), Arthur Virgílio (PSDB).

O Amazonas realizou eleições suplementares depois que José Melo (PROS) e Henrique Oliveira (SD), governador e vice eleitos em 2014, foram cassados por compra de votos. Desde a cassação de Melo e Oliveira, ocorrida em 09 de maio, o Estado é governado pelo presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida (PSD), que no primeiro turno da eleição suplementar apoiou Rebecca Garcia.

O resultado de hoje, além de uma vitória do PDT, que agora passa a contar com dois governadores (Amazonino Mendes no Amazonas e Waldez Góes no Amapá), ambos localizados na região Norte do país, também marca uma derrota do PMDB que faz oposição ao presidente Michel Temer (PMDB).

Vale lembrar que Eduardo Braga, assim como os senadores peemedebistas Renan Calheiros e Kátia Abreu, fazem oposição ao governo na bancada.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem abrir espaço à renovação, o PT engessa a esquerda conservadora


As coligações para o pleito de 7 de outubro confirmaram a tendência monopolista do PT de Lula. Num momento que pode se caracterizar por uma inflexão na história brasiliana, a sigla interditou o debate na esquerda conservadora.

Ler mais

O “messianismo” espreita o pleito de 2018, adverte Pedro Malan


Momentos de grande desilusão são portas de entrada para salvadores da pátria. Com a maioria dos eleitores fartos com todos os políticos, os eleitores de 2018 flertam com o messianismo.

Ler mais

80,16% dos deputados estaduais concorrem à reeleição


Levantamento das empresas Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical e MonitorLeg Comunicação Legislativa conclui que a renovação nas Assembleias Legislativas tende a ser baixa, especialmente em função do elevado percentual de candidatos à reeleição: 80,16%.

Ler mais

Câmara dos Deputados: renovação ou circulação no poder?


A próxima composição da Câmara dos Deputados terá o menor índice de renovação real, entendendo-se como tal apenas os nomes que nunca ocuparam cargos públicos. A renovação real será absolutamente residual. O que haverá será uma circulação no poder.

Ler mais