brasil

O apoio ao governo na Câmara

Imprimir

  O mês de março foi marcado por atritos entre os Poderes Executivo e Legislativo. Insatisfeitos com a articulação política do governo, os deputados aprovaram, com ampla maioria (448 votos em primeiro turno e 453 no segundo), a PEC nº 2/15, que torna impositiva a execução de emendas parlamentares de bancadas destinadas a investimento nos estados. Conforme a proposta, a execução dessas emendas se torna obrigatória, limitada ao montante de 1% da receita corrente líquida do ano anterior. A matéria está agora sob análise do Senado.

Recado semelhante foi dado pelo Congresso em fevereiro, ao ser aprovado projeto de decreto legislativo que suspendia os efeitos do Decreto nº 9.690/19, já revogado pelo presidente. O decreto atribuía a autoridades diversas, inclusive ocupantes de cargos comissionados, a competência para classificar informações públicas nos graus de sigilo ultrassecreto ou secreto.

Por conta da votação da PEC do Orçamento impositivo, é preciso analisar de duas formas a adesão dos deputados em março em relação aos projetos de interesse do governo.

A Arko Advice tabulou 16 votações nominais e abertas ocorridas em março nas quais o governo fez orientação de voto (contra ou a favor). Por esse critério, a média de apoio em março foi de 64,44%, levando-se em consideração todos os deputados. Quando excluímos os ausentes, o índice sobe para 80,64%.

 

 

 

Durante a votação da PEC do Orçamento impositivo, a liderança orientou voto favorável à proposta. No entanto, a avaliação na Câmara é a de que o governo apoiou a proposta apenas para não deixar explícita a derrota. Assim, quando levamos em conta o voto daqueles que votaram a favor da proposta como contrários ao governo, o percentual de adesão cai para 38,85%. Em relação ao total da Casa, considerando apenas os votantes, foi de 48,61%. Na nossa avaliação, portanto, esse é o percentual que melhor reflete o apoio do governo na Câmara.

De uma forma geral, as legendas mais fiéis ao governo em março foram: DC, Novo, PSL, PRP, PP, PSC, MDB, PSD e PR. Veja a média de apoio de cada  legenda no mês na tabela a seguir:

 

Câmara dos Deputados
Média de apoio aos projetos de interesse do governo em março

Partido Bancada % votos a favor (1) % votos a favor (2) % votos a favor (3) % votos a favor (4)
PT 55 26,27 35,19 0,11 0,15
PSL 54 82,29 98,88 55,55 66,75
PP 38 71,99 95,83 47,11 62,71
PR 38 70,72 92,67 46,21 60,56
PSD 36 72,22 91,62 47,91 60,79
MDB 34 74,26 92,87 49,44 61,83
PSB 32 48,63 58,72 23,24 28,06
PRB 31 75,40 87,58 47,78 55,50
PSDB 30 72,50 90,86 47,08 59,00
PDT 28 57,81 68,33 30,35 35,88
DEM 27 66,20 90,79 41,66 57,14
Solidariedade 14 75,55 89,00 47,11 55,49
PTB 11 73,86 87,83 48,86 58,10
Podemos 11 55,68 80,99 30,68 44,62
PSOL 10 27,50 34,10 1,25 1,55
PROS 9 63,63 77,77 41,25 50,42
NOVO 8 91,40 95,12 71,87 74,79
PPS 8 89,06 95,79 59,37 63,86
PSC 8 78,90 90,99 53,90 62,16
PCdoB 8 26,56 33,33 2,34 2,94
Avante 7 55,35 74,69 32,14 43,37
Patriota 4 76,56 90,740 46,87 55,55
PV 4 67,18 82,69 43,75 53,84
PMN 2 81,25 92,85 50,00 57,14
PHS 2 39,39 81,25 27,27 56,25
PRP 1 87,50 100,00 56,25 64,28
S.Part. 1 86,66 92,85 53,33 57,14
PPL 1 68,75 73,33 37,50 40,00
REDE 1 31,25 71,42 0,00 0,00
Total 513 64,44 80,640 38,85 48,61

Fonte: Arko Advice

(1) Considera o apoio dos 513 deputados nas 16 votações nominais em que o governo orientou o voto “sim”

(2) Considera o apoio dos deputados presentes nas 16 votações nominais em que o governo orientou o voto “sim”

(3) Considera o apoio dos 513 deputados nas 11 votações nominais em que o governo orientou o voto “sim”. Quem apoiou o Orçamento impositivo nas outras cinco foi considerado como voto contra o governo.

(4) Considera o apoio dos deputados presentes nas 11 votações nominais em que o governo orientou o voto “sim”. Quem apoiou o Orçamento impositivo nas outras cinco foi considerado como voto contra o governo.

 

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

MP que permite empréstimos do FGTS às Santas Casas é aprovada


Nesta quarta-feira (24), o Senado aprovou  o projeto decorrente da Medida Provisória 859/2018 que regulamentou pontos pendentes relativos aos empréstimos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) às Santas Casas e hospitais filantrópicos.

Ler mais

Entrevista com o Deputado Augusto Coutinho


A matéria está em pauta. A ideia era começar a discussão, mas a questão da [Reforma da] Previdência inviabilizou qualquer avanço. Continuamos negociando, conversando com todos os partidos, exatamente no sentido de diminuir qualquer tipo de resistência, para fazer a votação de uma forma mais séria.

Ler mais

Bolsonaro sanciona lei que cria a Empresa Simples de Crédito


Jair Bolsonaro sancionou a lei que cria a Empresa Simples de Crédito (ESC). O objetivo é tornar mais barato o crédito para microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte.

Ler mais