dilma

Pesquisa devastadora para Lula, Dilma e o PT

Imprimir

Pesquisa realizada pelo Instituto Paraná mostrou um cenário devastador para o ex-presidente Lula, a presidente afastada Dilma Rousseff e o PT.

Os governos Lula e Dilma são vistos, ao lado da Operação Lava-Jato, como os principais responsáveis pela crise política que atinge o país.

1

A gestão Dilma também é vista, em primeiro lugar, como a grande responsável pela crise econômica, seguida do governo Lula e depois pela Lava-Jato.

2

As notícias ruins não param. A sondagem também apontou que 64,8% dos entrevistados são favoráveis ao afastamento definido de Dilma do Palácio do Planalto. Apenas 31% querem o retorno da presidente afastada.

Já o PT é citado espontaneamente por mais de 56% dos entrevistados como o partido mais corrupto do país.

3

Visto anteriormente como “o partido do pobres”, principalmente durante o auge do chamado Lulismo, o PT possui hoje a imagem de uma sigla corrupta, o que é devastador para suas pretensões eleitorais de curto (eleições municipais de 2016) e médio prazo (eleições gerais de 2018).

Mesmo que Lula ainda preserve um capital político junto ao eleitorado de baixa renda e localizada nos municípios com até 20 mil habitantes, uma nova vitória do ex-presidente em 2018 diante de uma conjuntura tão adversa é pouco provável.

O mais grave para o PT é que o partido não possui apenas a marca da corrupção em sua imagem, mas os últimos dois presidentes petistas (Lula e Dilma) são vistos como os principais responsáveis pelas crises política e econômica.

Embora o PT seja uma legenda que ainda preserve uma importante inserção em sindicatos e em parte da intelectualidade brasileira, somente uma profunda mudança interna será capaz modificar a imagem do partido.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Sem abrir espaço à renovação, o PT engessa a esquerda conservadora


As coligações para o pleito de 7 de outubro confirmaram a tendência monopolista do PT de Lula. Num momento que pode se caracterizar por uma inflexão na história brasiliana, a sigla interditou o debate na esquerda conservadora.

Ler mais

O “messianismo” espreita o pleito de 2018, adverte Pedro Malan


Momentos de grande desilusão são portas de entrada para salvadores da pátria. Com a maioria dos eleitores fartos com todos os políticos, os eleitores de 2018 flertam com o messianismo.

Ler mais

80,16% dos deputados estaduais concorrem à reeleição


Levantamento das empresas Queiroz Assessoria Parlamentar e Sindical e MonitorLeg Comunicação Legislativa conclui que a renovação nas Assembleias Legislativas tende a ser baixa, especialmente em função do elevado percentual de candidatos à reeleição: 80,16%.

Ler mais

Câmara dos Deputados: renovação ou circulação no poder?


A próxima composição da Câmara dos Deputados terá o menor índice de renovação real, entendendo-se como tal apenas os nomes que nunca ocuparam cargos públicos. A renovação real será absolutamente residual. O que haverá será uma circulação no poder.

Ler mais