clipping-politica-brasileira

PMDB fecha questão com a previdência, PSDB não

Imprimir

A cúpula do PSDB deveria se encontrar hoje cedo para discutir a posição do partido quanto à Reforma da Previdência, mas não foi bem o que aconteceu. Geraldo Alckmin (SP), futuro presidente da legenda, Tasso Jereissati (CE) que ocupou a presidência interinamente e Ricardo Trípoli (SP), líder da bancada na Câmara não compareceram. O evento acabou sendo realizado apenas com o presidente afastado do PSDB, senador Aécio Neves (MG), Antonio Imbassahy (BA) e Bruno Araújo (PE).

— Defendemos que o partido vote fechado na questão da Previdência. O PSDB tem compromisso com o país, tem compromisso com o fim dos privilégios – disse Aécio Neves.

Apesar da ausência Geraldo Alckmin, afirmou que é a favor da reforma, mas disse ser contra o fechamento de questão.

— Minha posição é favorável à reforma, mesmo que não seja a ideal, mas é a que temos hoje e é necessária ao país. Nossa posição é favorável, e a bancada já sabe disso. Fui deputado federal durante oito anos e nunca teve fechamento de questão. Em política, você convence. Política é convencimento. No que eu puder ajudar no convencimento, o farei – disse Alckmin, ao sair do encontro com parte da bancada de deputados federais tucanos.

PMDB fecha questão sobre a Previdência

PMDB, partido do presidente Michel Temer e dono da maior bancada da Câmara dos Deputados fechou questão sobre a Reforma da previdência. A expectativa é de que outras siglas da base aliada sigam o exemplo e também fechem questão a favor da matéria nos próximos dias. Sem prever punição para quem descumprir a decisão da legenda há a possibilidade de 10 a 15 deputados, dos 60 que compõem a bancada, desobedeçam a direção e votem contra.

Fernando Pimentel vira réu por corrupção

STJ recebeu por unanimidade a denúncia da PGR contra o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT). O governador está sendo acusado de corrupção passiva por ter supostamente recebido propina para favorecer a Odebrecht quando era ministro de Desenvolvimento da Indústria e Comércio Exterior. Os ministros do STF decidiram também pelo não afastamento do cargo.

Trump reconhece Jerusalém como capital de Israel

Surpreendendo a diplomacia mundial Donald Trump anunciou no início da semana que transferiria a embaixada americana para Jerusalém reconhecendo a cidade dispuada por palestinos e israelenses como capital de Israel. A expectativa é de que isso fosse um processo gradual, mas Trump defendeu a decisão em um pronunciamento onde disse que a mudança estava prevista em lei e havia sido repetidamente postergada aguardando o momento em que a paz fosse alcançada. Segundo o presidente americano não se pode alcançar novos resultados repetindo antigas decisões e por isso decidiu não mais renunciar ao que a lei americana determina: a mudança da embaixada e o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel. Assista o pronunciamento completo do presidente dos Estados Unidos.

Com informações do Estadão, O Globo e Globo News.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Os três setores do sistema social no governo Bolsonaro


Com base nas propostas de campanha, no pensamento do presidente eleito, na visão de mundo e na trajetória das equipes (econômica, política e de infraestrutura militar), que darão rumo ao novo governo, bem como na grave crise fiscal em curso, é possível antecipar que o mercado será o mais beneficiado

Ler mais

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro


Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

Ler mais