previdencia

Bentinho Gomes: PSDB sempre apoiou as principais pautas do governo

Imprimir

Deputado Betinho Gomes (PE), vice-líder do PSDB na Câmara, em entrevista ao Blog da Política Brasileira respondeu sobre a Reforma da Previdência, a convenção do partido e o futuro dos ministros tucanos com o desembarque do governo:

Como o PSDB vê a recusa do governo em negociar propostas do partido para a Reforma da Previdência?

Primeiro, quero dizer que o PSDB não apresentou nenhuma nova proposta. De fato, havia um estudo encomendado pela liderança, mas não foi formalizado. E isso não vai ser determinante para o posicionamento da bancada neste momento da discussão em torno da reforma. O fato concreto é que o governo não tem os votos [necessários para a sua aprovação] e eu percebo que há uma tentativa de transferir ao PSDB a responsabilidade pela falta de votos na Câmara. Isso me parece uma estratégia de comunicação que o governo estabeleceu para nos responsabilizar. Coisa que não é verdade, porque a base aliada não quer votar a reforma.

A convenção do partido esta semana vai mesmo sacramentar a saída do governo?

A convenção do PSDB vai, primeiro, sacramentar a nossa unidade interna. Depois, apresentar, possivelmente, um nome para a disputa em 2018, que deverá ser o do nosso governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. E, naturalmente, dizer que nós vamos continuar ajudando o Brasil a fazer aquilo que é necessário para recuperar a economia. Lembro sempre que o PSDB, estando ou não estando no governo, apoiou as principais pautas que o governo apresentou, que foram fundamentais para a recuperação da economia. Cito a PEC do Teto de Gastos, a Reforma Trabalhista, a TLP para definir a nova taxa de juros do BNDES, a Reforma do Ensino Médio. Enfim, as pautas que aqui foram aprovadas sempre contaram com o apoio de nosso partido.

Confirmada a decisão de desembarcar do governo, haverá algum tipo de sanção para quem não deixar os cargos?

Esse procedimento, o alcance dessa decisão, deverá ser orientado pela Executiva Nacional. Eu acho que já há um movimento claro, no sentido de o partido deixar o governo. Isso não significa dizer que iremos para a oposição. Acho que o partido tem a responsabilidade de ajudar na votação das pautas importantes para o país e vamos construir uma aliança em torno do centro democrático para que a gente possa garantir amplo apoio à candidatura do Geraldo Alckmin. A questão da definição, quem sai ou quem não sai, isso é um critério que a Executiva tem que estabelecer e apresentar aos filiados que fazem parte do governo.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Os três setores do sistema social no governo Bolsonaro


Com base nas propostas de campanha, no pensamento do presidente eleito, na visão de mundo e na trajetória das equipes (econômica, política e de infraestrutura militar), que darão rumo ao novo governo, bem como na grave crise fiscal em curso, é possível antecipar que o mercado será o mais beneficiado

Ler mais

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro


Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

Ler mais