brasil

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro

Imprimir

Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

* Leia também: Eleito presidente, Bolsonaro deve agradecer ao PT [https://arkonews.com.br/eleito-presidente-bolsonaro-deve-agradecer-ao-pt/]

No novo cargo, o hoje magistrado irá cuidar diretamente de 2 dos 3 esteios do futuro governo: combate à corrupção, sua especialidade, e repressão à violência. Nada impede, porém, que se avance sobre o terceiro esteio bolsonarista: o resgate dos valores e costumes tradicionais.

Depois de prender Lula, o maior líder popular da história do Brasil ao lado de Getúlio Vargas, e interferir diretamente nas eleições de 2018, Moro deve ter percebido que nada de mais grandioso poderia fazer caso se mantivesse na 1ª instância do Judiciário. Como juiz, ganhou fama internacional ao liderar a Lava-Jato.

Como ministro, ao lado de Bolsonaro, também alvo das atenções globais, o juiz poderá ir mais longe. Se sua disposição de prender corruptos de colarinho branco e abater marginais for genuína e se tornar efetiva, a dupla Moro & Bolsonaro poderá mudar a cara do cenário político brasiliano.

A partir de 1º de janeiro, os brasileiros que elegeram Bolsonaro querem ver meliantes do erário, assassinos e estupradores presos – noves fora, os que querem todos mortos. Resta saber se a Esplanada dos Ministérios, em Brasília, tem espaço suficiente para dois egos do tamanho da nova dupla dinâmica da política brasileira.

 

* Itamar Garcez é jornalista

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Militares e Reforma da Previdência


O governo deve encaminhar ao Congresso, na terça ou quarta-feira, o projeto que trata das aposentadorias dos militares. A tramitação começa pela Câmara. O texto deve ser analisado por uma Comissão Especial antes de ser votado em plenário. O projeto aumenta o tempo de serviço na ativa, que hoje

Ler mais

Câmara vota nova Lei de Licitações


Conforme reunião de líderes na semana passada, foi incluído na pauta da Câmara desta semana o projeto de lei que institui uma nova Lei de Licitações, criando modalidades de contratação e exigindo seguro-garantia para grandes obras.

Ler mais

BC decide taxa de juros


O Banco Central se reúne, nesta terça e quarta-feira (19, 20), para decidir a taxa básica de juros (Selic), hoje em 6,5% ao ano. Será a primeira reunião sob o comando de Roberto Campos Neto. A ata será divulgada no dia 26, quando o mercado poderá obter uma sinalização mais clara de Campos Neto sobre

Ler mais