politica

Temer quer recuperar a confiança de investidores

Imprimir

Após conquistar uma vitória com a eleição do seu candidato a presidente da Câmara, o presidente em exercício, Michel Temer, pretende focar suas atenções para as políticas externas do país, principalmente na área econômica.

Visando recuperar a confiança dos investidores internacionais, o presidente planeja para o fim de agosto, após a conclusão do processo de impeachment de Dilma Rousseff, uma série de visitas e viagens ao exterior para conversar com fundos de investimentos e agências de risco.

Em fevereiro de 2016 o Brasil perdeu o seu último selo de bom pagador. O selo de bom pagador, que é um reconhecimento de que o país é um lugar seguro para os investidores, costuma ser exigido por fundos de investimento e de pensão bilionários para aplicar em títulos de dívida de governos. Normalmente, pedem que a aplicação seja considerada grau de investimento por, pelo menos, duas das grandes agências. Além disso, quanto melhor a classificação, menor o custo da dívida para o país.

O grau de investimento é uma condição atribuída por agências internacionais de classificação de risco a papéis, empresas ou países para definir que se trata de um investimento seguro – ou seja, com baixo risco de calote.

As três agências risco de maior visibilidade no mundo são a Standard & Poor’s, a Moody’s e a Fitch Ratings.

Qual o plano de Temer?

A intenção de Temer é afirmar para as agências e os fundos que a situação econômica do Brasil está normalizada e que os investidores podem retornar ao país, e que o Brasil honrará os seus compromissos.

Temer quer que o país recupere o selo de bom pagador das três agências internacionais, perdido no ano passado. No roteiro de viagem do presidente estão países chaves, como China, Estados Unidos, Inglaterra, Japão, Índia, Argentina, México e Portugal. O primeiro destino deve ser a China, seguido dos Estados Unidos e Inglaterra.

Alguns ministros, de foco econômico, devem acompanhar o presidente em sua jornada, o auxiliando a apresentar propostas e iniciativas do governo brasileiro.

Agosto também marcará o lançamento do “pacote do crescimento” do governo Temer. O presidente deve lançar cerca de vinte medidas preparadas pelo Ministério do Planejamento, incluindo a ampliação dos prazos das concessões, assim como a venda de terras para estrangeiros.

Também é esperado que o governo divulgue o projeto de financiamento para compra de imóveis pela classe média, no entanto, esse programa ainda aguarda o aval da Fazenda.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

Os três setores do sistema social no governo Bolsonaro


Com base nas propostas de campanha, no pensamento do presidente eleito, na visão de mundo e na trajetória das equipes (econômica, política e de infraestrutura militar), que darão rumo ao novo governo, bem como na grave crise fiscal em curso, é possível antecipar que o mercado será o mais beneficiado

Ler mais

Se for bem-sucedido, o STF pode ficar pequeno para Sergio Moro


Ao aceitar o cargo de ministro da Justiça do Governo Jair Bolsonaro, o juiz Sergio Moro dobrou a aposta no tabuleiro político brasileiro. Caso seja bem-sucedido, ele não se cacifa apenas para uma vaga no STF, mas pode almejar a Presidência da República.

Ler mais