agenda-politica-brasileira

Temer viaja para a China

Imprimir

Destaques da agenda do dia

1. O presidente Michel Temer viaja para a China para participar da reunião do Brics.

2. Sessão do Congresso Nacional para analisar vetos presidenciais, entre eles vetos a dispositivos do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017.

3. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reúne com líderes partidários para tentar um acordo em relação à reforma política.

4. A Câmara tenta concluir a votação da Medida Provisória nº 777/17, que cria a Taxa de Longo Prazo (TLP). Também pode votar Reforma Política.

5. A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado sabatina Paulo Sérgio Neves de Souza e Maurício Costa de Moura, indicados para a diretoria do Banco Central.

6. A Comissão Mista de Orçamento pode votar parecer do deputado Marcos Pestana (PSDB-MG) ao projeto de lei que modifica as metas fiscais de 2017 e 2018 para R$ 159 bilhões.

7. A Comissão Especial da Reforma Política na Câmara pode votar o relatório do deputado Vicente Cândido (PT-SP) que regulamenta o financiamento público de campanhas e o “distritão” (voto majoritário para deputados e vereadores), entre outros pontos.

8. O Tesouro Nacional divulga o resultado das contas do Governo Central de julho.

9. Veiculação do programa partidário do REDE, em cadeia de rádio e TV, com duração de dez minutos.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados

O esquartejamento do Ministério do Trabalho


O Ministério do Trabalho foi extinto e suas competências e atribuições foram distribuídas em quatro outros ministérios (Economia, Justiça e Segurança, Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos) com dupla finalidade. De um lado, facilitar a implementação da reforma trabalhista, inclusi

Ler mais

Nordeste, a terceira arma de Bolsonaro


O Nordeste deve ser a terceira arma do capitão-mor Jair Bolsonaro para transformar as expectativas da campanha eleitoral num governo bem-sucedido. A deixa foi dada pelo general Augusto Heleno, futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) do governo eleito.

Ler mais

O otimismo com a Era Bolsonaro deve muito a Era Temer


O presidente Michel Temer deixará a Presidência da República menos injustiçado do que creem seus aliados, mas mais injustiçado do que detratam seus adversários. Contra a tendência simplificadora das análises sintéticas das redes sociais, muitas ações na política não são preto no branco.

Ler mais

A lógica da relação do governo Bolsonaro com o Congresso


O presidente eleito, sob o argumento de que a estrutura partidária está viciada e só age à base do toma lá dá cá, fez campanha prometendo que não negociaria com os partidos a formação de seu governo, mas, tão logo eleito, passou a negociar indicações com as bancadas informais, temáticas

Ler mais