ajuste

Governo está comprometido com reequilíbrio

Imprimir

O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, afirmou que a aprovação da proposta de emenda à Constituição (PEC 241), em segundo turno, que define um teto de gastos públicos mostra compromisso do governo com o reequilíbrio das contas públicas. A proposta, que segue para o Senado Federal, foi aprovada, ontem (25), por 359 votos favoráveis e 116 contrários.

“O remédio pode ser amargo, mas é a medida necessária para reequilibrar as contas públicas do governo”, disse ao blog. Veja a entrevista.

Qual significado tem a votação do teto dos gastos públicos para o governo?

O mais importante é a simbologia de que o governo está comprometido com o reequilíbrio das contas públicas. É bem verdade que a matéria demandará alguns sacrifícios do ponto de vista do governo, mas ela é essencial para reequilibrar as contas. Nós temos um déficit gigantesco para este ano, um déficit grande projetado para o ano que vem e precisamos reorganizar a economia. Essa é uma das medidas primordiais para que a gente possa reequilibrar as contas públicas e, na sequência, retomar o crescimento.

Ministro, uma votação tão expressiva mostra que o governo está articulado com o Congresso, diferente do governo Dilma?

O sucesso para governar é olhar para frente. O presidente Michel Temer tem uma extensa relação com o Congresso, pela experiência parlamentar. Ele tem reiterado nas suas entrevistas e nas reuniões que ele quer manter esse bom relacionamento de Executivo com o Legislativo. Eu acredito que aqueles que fazem a articulação política do governo conseguir manter a harmonia entre Executivo e Legislativo, essa será a receita do sucesso.

A oposição acusa o governo de cortar gastos em saúde e educação…

O debate político faz parte do jogo entre governo e oposição. Quem acompanha, nos últimos anos, o crescimento negativo da economia, o prejuízo que as pessoas estão tendo. Não pode ficar desse jeito. O remédio pode ser amargo, mas é a medida necessária para a gente poder reequilibrar as contas públicas do governo. A oposição faz o papel dela e o governo tem que votar.

Loading Facebook Comments ...

Artigos relacionados